Arquivo do blog

Bayer anuncia movimentações na divisão farmacêutica do Brasil e AL

Guia da Farmácia

(Texto atualizado em 30/11/2020 às 02:56 pm)

As áreas terapêuticas de Cardiologia e Especialidades da Bayer passam por modificações com novos líderes no Brasil e na América Latina

A divisão farmacêutica da Bayer anuncia as modificações de suas movimentações de executivos no Brasil e América Latina. A partir de abril de 2021, a divisão farmacêutica da Bayer terá novos nomes a frente das áreas de Cardiologia e Especialidades no País.

Phillip Glaser, até então Head da Área Terapêutica de Especialidades no Brasil, posição que ocupa desde 2015, assumirá o cargo de Head de Cardiologia no país. Tiago Dias sucede Phillip e passa a ser o Head de Especialidades no Brasil.

Graduado e Master em Administração, Phillip construiu carreira na Bayer, ingressando em 1999 como estagiário, e acumulou experiências em diversas posições na área de Marketing e Vendas, tanto no Brasil como no exterior.

Já Tiago, com formação em Engenharia e Master em Administração, iniciou sua jornada na companhia em 2014. Em 2018, assumiu posição na estrutura Regional LatAm em Whippany e, desde abril de 2019, é responsável pelo negócio de Hematologia nos Estados Unidos.

Movimentações da Bayer no Brasil 

Contudo, as movimentações acontecem após o anúncio de aposentadoria de Pierina Rossetti, atual Líder da divisão farmacêutica da companhia na região Conosur, que abrange Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Bolívia. Daniel Londero, até então Líder de Farma no Chile e Head da área Cardiovascular para o Conosur, sucederá Pierina.

Marcelo Bonato assume a antiga posição de Daniel. Formado em Marketing e em Ciências Contábeis e Master em Administração, Marcelo ingressou na Bayer em 2007, ocupou, todavia, diversas posições executivas ao longo da sua jornada e, desde janeiro de 2018, é responsável pela área de Cardiologia no país.

Marcelo reporta-se, portanto, a Daniel, que junto a Phillip e Tiago, reportam-se ao presidente da divisão farmacêutica da Bayer no Brasil e América Latina, Adib Jacob.

“Temos plena confiança de que esses nomes, com suas experiências pessoais e profissionais diversas, continuarão fazendo a diferença ao time Farma LatAm, em nossa busca constante por soluções relevantes para nossos pacientes e parceiros de negócios”, ressalta Adib.

Fonte: Bayer Foto: Shutterstock


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Butantan será parceiro para vacina contra o coronavírus em fase final de testes

Doria anuncia que Butantan será parceiro para vacina contra o coronavírus em fase final de testes

(Texto atualizado em 18/11/2020 às 05:52 pm)

Segundo o governo, empresa fornecerá ao Instituto Butantan doses da vacina para a realização de testes clínicos em voluntários no Brasil

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou, na manhã desta quinta-feira (11), que o Instituto Butantan será parceiro de um laboratório chinês para a produção de uma vacina contra o coronavírus que está em fase final de testes.

“Hoje é um dia histórico para São Paulo e para o Brasil, assim como para a ciência mundial. O Instituto Butantã fechou acordo de tecnologia com a gigante farmacêutica Sinovac Biotec para a produção da vacina contra o coronavírus. (…) Os estudos indicam que ela estará disponível no primeiro semestre de 2021, ou seja, até junho do próximo ano. E com essa vacina nós poderemos imunizar milhões de brasileiros”, disse Doria em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na tarde desta quinta (11).

O anúncio foi feito uma semana após o governo iniciar o plano de flexibilização da quarentena no estado.

Segundo o governo, a empresa fornecerá ao Instituto Butantan as doses da vacina para a realização de testes clínicos da fase 3 em voluntários no Brasil.

“O acordo prevê a participação de São Paulo na realização de testes clínicos dessa vacina, com o acompanhamento de 9 mil voluntários brasileiros a partir do próximo mês de julho, dentro, portanto, de 3 semanas 9 mil voluntários já estarão sendo testados aqui no Brasil”, afirmou o governador.

Ainda segundo o governo, outros acordos com Sinovac estão sendo feitos para garantir o fornecimento do produto ao país enquanto a tecnologia de produção da vacina é transferida para o Butantan. Se bem sucedida nos testes, a vacina poderá ser produzida nacionalmente e disponibilizada aos brasileiros.

Os estudos clínicos no Brasil serão iniciados após a aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e dos comitês de ética em pesquisa.

A vacina da Sinovac Biotech já foi aprovada para testes clínicos na China. Ela usa uma versão do vírus inativado. Isso quer dizer que não há a presença do coronavírus Sars-Cov-2 vivo na solução, o que reduz os riscos deste tipo de imunização.

Vacinas inativadas são compostas pelo vírus morto ou por partes dele. Isso garante que ele não consiga se duplicar no sistema. É o mesmo princípio das vacinas contra a hepatite e a influenza (gripe).

Ela implanta uma espécie de memória celular responsável por ativar a imunidade de quem é vacinado. Quando entra em contato com o coronavírus ativo, o corpo já está preparado para induzir uma resposta imune.

Cientistas chineses chegaram à fase clínica de testes – ensaios em humanos – em outras três vacinas. Uma produzida por militares em colaboração com a CanSino Biologics, e mais duas desenvolvidas pela estatal China National Biotec.

Butantan contra o coronavírus: etapas

A Sinovach Biotech, empresa citada por Doria, é uma afiliada do estatal Grupo Farmacêutico Nacional da China, sediada em Pequim. O laboratório obteve autorização para começar testes em humanos em abril. E é alvo de investigação na China.

Além desta iniciativa, há ao menos 133 candidatas a vacina contra o vírus causador da Covid-19, sendo que dez delas estão na fase clínica, ou seja, sendo testadas em humanos.

Ainda assim, especialistas acreditam que a vacina estará disponível apenas em 2021.


Palavras-chave , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





GSK anuncia estratégias para a pandemia de coronavírus

GSK anuncia estratégias para a pandemia de coronavírus

A farmacêutica britânica contou sobre as estratégias e recomendações para o período

“É tempo de cuidarmos de nós, porque é cuidando de nós que estamos cuidando do próximo, da família, dos amigos, da economia e da sociedade. Nós, da GSK no Brasil, estamos somando esforços para continuar zelando pela saúde dos brasileiros”. Com esse lema, José Carlos Felner, GM no Brasil da GSK, maior produtora de vacinas do mundo e líder em saúde respiratória, foca sua gestão para superar esse momento que o mundo está passando.

A GSK tem por missão ser uma empresa que faz com que as pessoas façam mais, sintam-se melhor e vivam mais. Nesse período de pandemia não poderia ser diferente. “Priorizamos a saúde e o bem-estar dos nossos colaboradores, com home office para 100% dos que possuem funções administrativas, suspendemos todos os contatos proativos da nossa força de vendas com profissionais de Saúde, reforçamos higienização em nossas dependências, montamos um comitê de crise, mantemos nossos funcionários informados e antecipamos a campanha de vacinação contra gripe para todos nossos funcionários e familiares”, enfatiza Felner.

Produção de medicamentos e vacinas

A GSK é a maior produtora de vacinas do mundo e é referência no tratamento de doenças respiratórias. Portanto, a produção desse time crítico não pode parar. Eles são fundamentais para garantir o abastecimento confiável de produtos, medicamentos e vacinas, tão importantes para a sociedade.

No Campo da Pesquisa&Desenvolvimento, a GSK também está na luta ao COVID-19. A empresa colocou à disposição dos cientistas da CEPI – instituição que atua no desenvolvimento de vacinas para controlar surtos – sua plataforma de adjuvantes, mesma tecnologia já utilizada com sucesso na pandemia de gripe. “Essa semana expandimos nossas colaborações e agora estamos trabalhando com cinco empresas parceiras e grupos de pesquisa em todo o mundo, inclusive nos EUA e na China, além da Universidade de Queensland e a Clover Biofarmaceuticals”, complementa Felner. Outras oportunidades de colaboração com várias outras empresas e instituições estão sendo estudadas.

As primeiras indicações do benefício do adjuvante foram relatadas nos primeiros experimentos pré-clínicos por uma das colaborações. Com essa tecnologia, é possível reduzir a quantidade de antígeno por dose, o que permite a oferta de mais doses de vacinas para mais pessoas, além de possibilitar uma imunização mais potente e duradoura. Isso, em um cenário de pandemia como o atual, pode fazer toda diferença. A GSK espera que os dados sejam relatados pelas várias colaborações nos próximos três meses. Assim, esses dados informarão os próximos passos para o desenvolvimento clínico das vacinas candidatas.

“O momento é de colaboração e mobilização. Sabemos que o processo de produção de vacinas é muito complexo, o que pode demorar um pouco. Porém, está na hora de unirmos esforços para tornar a vacina realidade no menor espaço de tempo possível”, completa Felner.

Grupos de risco – Doenças respiratórias e HIV

Embora ainda não tenhamos muitas informações sobre o vírus SARS-CoV-2, os dois grupos de maior risco são o de pessoas idosas, acima de 60 anos, e o de portadores de doenças crônicas como asma, DPOC, diabetes, doenças cardiovasculares, câncer, Aids, entre outras. É importante que pacientes crônicos tomem todas as medidas de proteção e prevenção estabelecidas pelo Ministério de Saúde, como o confinamento social, lavagem frequente e correta das mãos, utilização de álcool gel 70% na limpeza pessoal e de ambientes, bem como evitar aglomerações de pessoas.

“Como temos um portfólio completo, que inclui tratamentos para Asma, Asma Grave, Rinite Alérgica e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e fornecemos medicamentos de primeira linha para pessoas com Aids em tratamento pelo SUS para mais de 250 mil pacientes, não podemos parar. Esse é o nosso compromisso com a sociedade.”, completa Felner.

GSK diante da pandemia de coronavírus: Gestão em tempos de crise

É tempo de se cuidar, cuidar do próximo, de parar e pensar no bem mais importante para todos os seres: a saúde. Quem puder ficar em casa, siga as recomendações de médicos e órgãos do governo. Quem trabalhar com insumos de primeira necessidade, deve se proteger e focar em levar o melhor para todos. “Tenho clareza de que uma boa gestão para garantir a segurança e o bem-estar de nossos funcionários, bem como como o acesso a medicamentos de suma importância para a população, além da busca constante de ações efetivas de combate a Covid-19, será o que fará a diferença ao passarmos por essa crise. É uma situação em constante evolução, que necessita ser mantida sob revisão e atualização periódicas. Seguimos monitorando a questão e em estreita comunicação com os governos globais e local, para auxiliar em todas as áreas que pudermos”, conclui Felner.

Foto: Shutterstock
Fonte: GSK


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Farmácias Nissei anuncia novas lojas e abre vagas

(Texto atualizado em 08/05/2019 às 02:30 pm)

Maringá e Pioneiros receberam novas unidades, reforçando a força da rede no Paraná. A Rede de Farmácias Nissei, oitava maior player do setor no Brasil, inaugurou a 14ª unidade no Maringá, no Jardim Aclamação (PR). Localizada na Av. Senador Petrônio Portela, nº 780, a farmácia possui 310 metros quadrados. A Rede também anunciou a quarta unidade em Fazenda Rio Grande, no Pioneiros (PR). Localizada na Av. Cesar Carelli, nº 64, a farmácia possui mais de 300 metros quadrados. As novas unidades, construídas no novo modelo da marca, que valoriza a experiência de compra do consumidor, atuarão com o conceito de drugstore, contando com um portfólio completo de medicamentos, produtos de higiene e beleza, perfumaria e conveniência.

Ações diferenciadas

A Rede de Farmácias Nissei conta com o programa Clube da Melhor Idade, na qual aposentados, pensionistas e público com mais de 55 anos têm benefícios que vão desde descontos exclusivos, até a promoção de atividades sociais com foco na saúde e bem-estar. “Esse é um projeto de mais de 20 anos que tem o intuito de retribuir a preferência desse público pela marca Nissei. Hoje, o Clube já conta com mais de 500 mil associados ativos que frequentam mensalmente as lojas”, revela o diretor executivo da Rede Nissei, Alexandre Maeoka.

A Rede possui também oferece os Serviços Avançados Nissei (SAN) – extensivo a todos os clientes -, e que proporciona exames laboratoriais, controle de diabetes, colesterol, peso, hipertensão, revisão da medicação e também o programa de auxílio para dependentes do tabagismo. Segundo Maeoka, da Rede de Farmácias Nissei, esse é um projeto novo, criado para ampliar a comodidade ao cliente, além de retomar o papel do farmacêutico na difusão de importantes informações ao paciente. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , ,
Carreiras e oportunidades





A Merck anuncia venda das plataformas Amnis® e Guava® para a Luminex Corporation

Todos os reagentes associados a essas marcas foram incluídos na negociação. O acordo estratégico permite à Luminex aumentar sua presença no mercado de citometria de fluxo multibilionário. Espera-se fechar o negócio no final de 2018.

Darmstadt, Alemanha — A Merck, a vibrante empresa de ciência e tecnologia, anunciou no dia 18 de outubro(quinta-feira), a assinatura de um acordo definitivo para vender sua unidade de citometria de fluxo para a Luminex Corporation por € 62,5 milhões.1 O fechamento da transação, previsto para o final de 2018, está sujeito às condições habituais de negociação. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: