Arquivo do blog

Riscos do adiamento de exames preventivos durante a quarentena

Riscos do adiamento de exames preventivos durante a quarentena

(Texto atualizado em 16/02/2021 às 12:07 pm)

Especialistas explicam a importância do diagnóstico precoce para tratamentos de câncer efetivos, mas reforçam necessidade de avaliar riscos locais

A pandemia causada pelo coronavírus tem gerado a sobrecarga de prontos-socorros e UTIs ao redor do país. Por conta da sua duração, seu impacto vai muito além, podendo impactar no diagnóstico de outras doenças pelo adiamento dos exames de rastreamento.

Como observou a Dra. Maria Ignez Braghiroli, diretora da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), o comportamento dos pacientes mudou visivelmente na quarentena: “Tanto no setor privado, quanto no SUS, é significativa a queda na realização de exames de rastreamento de câncer. Em abril, a taxa de ausência ficou em torno de 50% no privado, e acreditamos que ainda mais alta no SUS, já que a maior parte dos hospitais públicos estão voltados ao atendimento dos casos de coronavírus”.

Os riscos no adiamento dos exames preventivos são reais. O atraso pode causar o diagnóstico tardio de diferentes tipos de câncer, podendo impactar no tratamento. “É fundamental não desprezar sintomas que fujam da normalidade, como dores, inchaços, nódulos, manchas, perda de peso inesperada, dificuldade na cicatrização de feridas, bem como a presença de sangue nas fezes ou na urina. Esses sintomas são alertas de que algo pode estar errado. Por isso, é importante procurar um médico, que avaliará a necessidade de fazer o exame preventivo durante a quarentena ou não”. alerta Dra. Ignez.

Exames preventivos

O acompanhamento médico e a rotina de exames são estratégias para prevenir ou diagnosticar precocemente tumores, aumentando as chances de cura dos pacientes. A Dra. Ignez reforça o papel dos médicos na avaliação de cada um de seus pacientes durante a pandemia. “Independentemente da especialização, é crucial que cada médico mantenha uma avaliação contínua e individual de seus pacientes. Levando em conta a apresentação de sintomas, local de residência e histórico de exames, definindo quando é necessário fazê-los novamente, para evitar diagnósticos tardios, mas também proteger os pacientes de contaminação”.

Caso seja crucial manter as consultas e a regularidade dos exames preventivos, como a mamografia, tomografia, colonoscopia, exame de sangue, entre outros,  a SBOC destaca a importância de seguir as recomendações das organizações de saúde para evitar contaminação pelo coronavírus e está atualizando regularmente uma seção do site criada orientar oncologistas, pacientes e a sociedade com informações confiáveis e de qualidade.

Fonte: SBOC


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





O que os brasileiros esperam das marcas durante a pandemia?

o que os brasileiros esperam das marcas durante a pandemia?

(Texto atualizado em 09/04/2020 às 09:18 am)

Duas atitudes importantes: serem exemplos e liderarem a mudança; e serem práticas e realistas

Tempos de crise como a pandemia do COVID-19 que afeta o mundo atualmente leva o medo à população e força muitas marcas a refletirem sobre que tipo de comunicação devem ter e como devem agir. Uma pesquisa da Kantar, realizada entre os dias 13 e 16 de março, revelou que o coronavírus já preocupava 80% dos brasileiros.

Com isso, a população espera diferentes posicionamentos das marcas. Os brasileiros esperam que elas: sirvam de exemplo e guiem a mudança (25%); sejam práticas e realistas e ajudem consumidores no dia a dia (21%); ataquem a crise e demonstrem que ela pode ser derrotada (20%); usem seu conteúdo para explicar e informar (18%); reduzam a ansiedade e entendam as necessidades dos consumidores (11%); por último, que sejam otimistas e pensem de formas não convencionais (3%).

“Por ser um momento sensível, mensagens podem ser mal interpretadas, conteúdos podem gerar desserviços e peças criativas podem estimular o sentimento errado”, afirma o CEO de insights na Kantar Brasil, Valkiria Garre. “Ainda assim, as marcas devem continuar investindo de forma estratégica para conseguir crescimento a longo prazo.”

A pesquisa também questionou que tipo de publicidade deve continuar sendo feita pelas marcas brasileiras: mais de 80% dos entrevistados concordam completamente que elas devem comunicar principalmente seus esforços para enfrentar a situação e sobre como podem ser úteis nesse novo dia a dia, assim como evitar explorar a situação do coronavírus para promover suas marcas.

O que os consumidores esperam das empresas?

Outra informação apontada pela pesquisa é o que os consumidores esperam das empresas como organizações. Na opinião dos brasileiros o mais fundamental nesse momento é se preocupar com a saúde de seus colaboradores, higienizando os locais de trabalho (67%) e possibilitando os horários flexíveis (18%).

“Estamos vivendo um momento delicado da nossa história e devemos prezar primeiramente pela saúde da população. Toda e qualquer outra decisão deve ser pautada no uso de dados e informações para que os resultados sejam os mais benéficos possíveis”, diz Valkiria.

Para mais informações, clique aqui.

Foto: Shutterstock

Fonte: Kantar


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: