Aspen Pharma foca na estratégia de fortalecer atual portfólio

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

A farmacêutica Aspen Pharma Brasil teve um crescimento de 12% em faturamento e 30% em EBITDA, de 2018 para 2019. A aquisição e a estratégia de lançamento da Magnésia Bisurada foram alicerces para esse crescimento. “Aliado a isso, o foco nos produtos OTC e em toda linha de anestésicos foi crucial para enfrentar alguns grandes desafios, como a desvalorização do Real e impacto no suprimento de alguns produtos”, pontuou o CEO da Aspen Pharma Brasil, Alexandre França.

De acordo com ele, a pandemia fará com que reavaliem as estratégias frequentemente. “O cenário se apresenta dinâmico e hoje é difícil olhar o longo prazo. De qualquer forma, é importante ter uma linha de atuação claramente definida. A Aspen Pharma é uma empresa que vai continuar investindo no segmento de anestésicos e OTCs que são nossos produtos mais importantes. São unidades de negócio bem diferentes entre si mas que carregam nosso DNA. O que significa, ser agressivo, focado, atuar com ética e sempre procurando melhorar. Temos marcas maduras de prescrição que tem um forte apelo de recordação e ainda que recebam menos investimentos tem nosso cuidado e atenção. Atualmente os impactos que percebemos são a redução média da demanda, limitação da capacidade de produção e principalmente a subida do câmbio”, contou o executivo.

Hoje a farmacêutica disponibiliza ao mercado brasileiro medicamentos anestésicos, fitoterápicos, de prescrição, SNC e OTC, cardiometabólicos e biotecnológicos. Integram o portfólio produtos de referência no mercado, como: Diprivan, Calman, Leite de Magnésia de Phillips, Magnésia Bisurada, Omcilon-A Orabase, Kwell, Zyloric, Insunorm, Alcachofra e Imuran. Contudo, no momento não planejam lançar nenhum medicamento, focando na estratégia de fortalecer o atual portfólio.

Aspen Pharma no combate a pandemia

A primeira unidade industrial da Aspen Pharma está localizada no município de Serra, no Espírito Santo. Com 27 mil m² de área total e 5,6 mil m² de área construída, a fábrica atende ao mercado brasileiro com produtos para receituário médico e venda livre (MIP). São produzidas as seguintes formas farmacêuticas: comprimidos, comprimidos revestidos, drágeas, cremes, pomadas, líquidos e cápsulas. A capacidade produtiva da fábrica é de 25 milhões de unidades/mês.

Devido a pandemia, algumas mudanças foram necessárias para garantir a segurança dos funcionários. “Adotamos diversas ações e medidas para a prevenção e proteção da Covid-19 durante nossa rotina de trabalho na fábrica no Espírito Santo e em nosso escritório no Rio de Janeiro, como, por exemplo, monitorar a temperatura de todos os colaboradores durante a entrada no trabalho, proporcionamos transporte privado para o deslocamento de nossos colaboradores, disponibilizamos álcool em gel em todas as entradas dos setores, implementamos o revezamento de quadro de funcionários trabalhando em home-office e disponibilização de máscaras de proteção para todos os colaboradores”, contou França.

Fonte: Guia da Farmácia Fotos: Aspen Pharma

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:



Palavras-chave , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA

Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
Atualize seus Manuais de Boas Práticas e POPs para 2021 com 30% de desconto! Promoção por tempo limitado.

COMPRAR COM DESCONTO
+

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: