e-saúdeSP ajuda a agilizar o atendimento e diagnóstico da Covid-19

Aplicativo e-saúde integra dados clínicos e de telemedicina dos pacientes do SUS e ajuda nas dúvidas da Covid-19. Cerca de 4.800 atendimentos já foram realizados

O aplicativo e-saúde reúne todo o histórico do paciente SUS na capital paulista e oferece várias outras funcionalidades, como agilizar o atendimento e o diagnóstico de pacientes com suspeita de Covid-19.

Depois de acessar o aplicativo e-saúdeSP, implementado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o usuário responde, então, algumas perguntas sobre sintomas e as respostas são analisadas por médicos e enfermeiros.

Então, o munícipe recebe de volta um relatório com base nos sintomas declarados, que contém todas as orientações necessárias.

Tais como o encaminhamento para uma teleconsulta ou a uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

O paciente poderá receber, também, orientações complementares, ser medicado (a receita médica é encaminhada diretamente pela plataforma).

Ou, se necessário, encaminhado a uma unidade de emergência, com o trajeto monitorado pela central @covid. Tudo de acordo com a legislação e as regras de segurança vigentes para a telemedicina.

Até o dia 13 de novembro, a central @covid já realizou pelo menos 4.800 atendimentos.

Todo o serviço está, assim, articulado com as UBSs da cidade.

Dessa forma, é monitorizada por telefone ou presencialmente os casos confirmados da doença transmitida pelo novo coronavírus – atualmente são mais de 147 mil monitorados no município.

Aplicativo e-saúdeSP ajuda a diagnosticar a Covid-19

Com o e-saúdeSP, o paciente da capital tem na tela do celular todo seu histórico de passagens pelo SUS.

Como, por exemplo, laudos de exames laboratoriais e de imagem, consultas e receitas realizadas nos Equipamentos de Saúde do município.

Então, outra funcionalidade importante é o ícone Minha Saúde, em que o usuário do SUS insere, manualmente, dado sobre medicamentos, doenças crônicas, alergias, pressão arterial, entre outros.

É, portanto, mais uma estratégia de estímulo à participação ativa do paciente em seu autocuidado.

Dessa maneira, até 13 de novembro, foram registrados 266.398 acessos à plataforma para cadastramento ativo por parte do usuário.

A plataforma está disponível para dispositivos Android, iOS e em versão web. Para acessar os dados, é preciso fazer o cadastro e criar uma senha.

O exercício da telemedicina antes e depois da pandemia 

Fonte: ASCOM

Foto: Shutterstock

Qual sua opinião? Deixe seu comentário: