Indústria e fabricantes de suplementos e nutracêuticos investem visando o crescimento do mercado

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

crescimento-mercado-de-suplementos-e-nutraceuticos-cresceu-53-porcentagem-2012-2013-estimula-investimentos-da-industria

 

O segmento deve movimentar R$ 20 bilhões em 2013, ante os R$ 13 bilhões de 2012 no Brasil. Já em todo o mundo, o faturamento chegou a US$ 90 bilhões em 2012

De olho no crescimento de 53,8% no mercado nacional de nutracêuticos – suplementos formados pela fusão entre alimentos e farmacêuticos – empresas como Danone, Smart Life e Invictus Farmanutrição já trabalham para ampliar seus catálogos de produtos, apostando também em novas aquisições.

Segundo dados divulgados pelo instituto de pesquisa de mercado Euromonitor International, o segmento deve movimentar R$ 20 bilhões neste ano, ante os R$ 13 bilhões de 2012 no Brasil. No mundo, o faturamento chegou a US$ 90 bilhões em 2012. Pensando nisso, a Divisão de Nutrição Especializada da Danone, começou 2013 reforçando suas apostas na área com o lançamento do Souvenaid. O composto nutricional atua na reconstituição da membrana neural e na manutenção das sinapses (conexão entre as células do cérebro) em pacientes com Alzheimer em fase inicial.

“No Brasil, esse mercado está em criação, e queremos liderar essa transformação. Primeiro, atendendo os pacientes que necessitam. Depois, o público em geral, que almeja manter uma boa condição física”, disse o presidente da Divisão de Nutrição Especializada da Danone no Brasil, Marcelo Borges.

A divisão, que no exterior é conhecida como Nutricia, faturou no total 1,2 bilhão de euros no ano passado. Esse número equivale a 6% do faturamento global do grupo, que somou 20 bilhões de euros em 2012.

“No exterior, essa divisão deve crescer 6% em 2013. Já no Brasil, trabalhamos com uma faixa de expansão entre 12% e 15%”, ressaltou Borges. Um dos focos de atuação da empresa é o segmento de nutrição especializada para idosos, mercado que deve movimentar cerca de R$ 1 bilhão ao ano, estima a empresa. “Em 2010, tínhamos 19 milhões de idosos no Brasil. Já em 2050, esse número deve chegar a casa dos 64 milhões”, afirmou.

Entretanto, levando em consideração os planos de expansão, outras áreas já começaram a receber investimentos, como o setor de oncologia e diabetes. “Atualmente, trabalhamos em quatro frentes. As duas primeiras estão atreladas com o desenvolvimento de produtos para oncologia e diabetes. As outras duas ainda estão em processo de pesquisa”, ressaltou Borges.

Em julho, a companhia francesa comprou a brasileira Nutrimed, empresa com atuação no mesmo setor e com sede na cidade de Fortaleza (CE). “A Nutrimed tem um portfólio complementar e que ao mesmo tempo sobrepõe o nosso. Isso nos dará acesso a um número maior de consumidores, além de um mix com produtos mais acessíveis”, disse.

Outra empresa que decidiu ampliar seus investimentos neste setor foi o Grupo FQM, formado pelos laboratórios Farmoquímico e Herbarium. Em maio deste ano, a companhia comprou a SKL Pharma, o que contribuiu para a criação da Invictus Farmanutrição, nova divisão com foco no setor de Nutrição Médica.

Inicialmente, o foco da empresa está voltado para a venda de cápsulas contendo prebióticos, probióticos e simbióticos – microorganismos vivos. “Conseguimos industrializar esses microorganismos para vendê-los a hospitais que o utilizarão no tratamento de pacientes, melhorando a atividade do intestino”, afirmou o diretor geral da divisão, José Olímpio Mattos Jr.

Segundo o executivo, o Grupo FQM investiu R$ 30 milhões na nova fábrica, que terá capacidade para produzir 3 milhões de sachês por mês. Nos primeiros três anos, a Invictus planeja alcançar de 10% a 15% do faturamento do Grupo, que deve somar neste ano R$ 530 milhões.

Por outro lado, atendendo a demanda direta da população, a Smart Life, empresa brasileira fundada em 2006, expandiu seu mix de produtos – de dois passou para onze – em pouco mais de cinco anos, ressaltando o crescimento constante do setor.

Entre os itens comercializados está o Smartcaps Energy, energético em cápsulas que contribui para melhora das atividades cotidianas. “Quando cheguei ao Brasil, esse mercado praticamente não existia aqui. No entanto, já era possível observar sua implantação na Europa”, explicou o presidente da Smart Life, Lukas Fischer, nascido na suíça.

No ano passado, a companhia faturou R$ 8 milhões e já trabalha com uma previsão de crescimento de 60% neste ano. Para Fischer, esse mercado segue oferecendo muito espaço para atuação, por isso, os lançamentos de novos produtos devem continuar.

“Queremos nos consolidar cada vez mais nesse segmento. Por isso, estudamos a ideia de lançar novos produtos a cada seis meses”, concluiu Fischer.

A multinacional norte-americana DuPont, fornecedora de insumos para a indústria de alimentos, também contribui indiretamente para essa área. Atualmente, a empresa fornece produtos como probióticos e vitamina K2, usados pelas indústrias para a produção de nutracêuticos.

Em 2011, notando o crescimento do setor de alimentos, a empresa resolveu criar sua própria divisão de Nutrição & Saúde, já em fase de consolidação. Entre os clientes da DuPont estão fabricantes de barras de cereais e pães.

 

Fonte: DCI

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:


Mercado farmacêutico
0
Conectando
Por favor, aguarde...
Como podemos ajudar?

Envie uma mensagem com sua dúvida, logo retornaremos para você:

* Nome
* E-mail
Telefone
* Mensagem
Atendimento on-line

Como podemos ajudar?

Estamos on-line, fique à vontade para iniciar uma conversa com a M2Farma.

* Nome
* Email
Telefone
* Mensagem
Atendimento on-line
Feedback

Help us help you better! Feel free to leave us any additional feedback.

How do you rate our support?

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: