Liminar para venda de remédios da Farmácia Popular com entrega em domicílio

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

A restrição de entrega de medicamentos em domicílio prejudica o isolamento social dos usuários do programa “Aqui tem farmácia popular”, que majoritariamente integram o grupo de risco da pandemia de coronavírus por serem idosos e/ou portadores de doenças crônicas.

Farmácias podem entregar em domicílio remédios do programa farmácia popular.

Com esse entendimento, a juíza federal Anita Villani, da 1ª Vara Federal de São Vicente, concedeu uma liminar que autoriza três farmácias do município de Mongaguá (SP) a entregar em domicílio os medicamentos do programa farmácia popular.

Segundo a magistrada, estão presentes no caso os requisitos para deferimento da tutela de urgência, ou seja, a probabilidade do direito e o perigo de dano. “No caso dos idosos e portadores de doenças crônicas, o atendimento à recomendação de isolamento social é ainda mais importante, já que integram o grupo de risco no qual o percentual de complicações e óbito decorrente da doença é mais elevado”, disse.

O artigo 37 da Portaria 111/2016 do Ministério da Saúde proíbe a entrega em domicílio dos medicamentos da farmácia popular. Porém, Villani afirmou que a medida deve ser flexibilizada durante a pandemia da Covid-19 para não expor a riscos desnecessários os idosos e pessoas com doenças crônicas.

“O isolamento social é considerado a medida mais eficaz para diminuição do número de casos da doença – e consequente achatamento da curva de contaminação, evitando o colapso do sistema de saúde do país e a ocorrência de inúmeros óbitos que poderiam ser evitados”, afirmou a juíza. “Deve a restrição, portanto, ser flexibilizada, com a possibilidade de entrega em domicílio dos medicamentos disponibilizados pelo programa”, completou.

Assim, Villani autorizou as três farmácias a entregarem os remédios em domicílio, mas seguindo as demais normas e requisitos do programa. Além disso, a juíza determinou à União que se abstenha de impor sanção às farmácias por descumprimento das normas da Portaria 111/2016 do Ministério da Saúde em razão das entregas em domicílio.

Clique aqui para ler a decisão 5001127-69.2020.403.6141

O que você acha sobre o processo judicial e liminar que permite e libera a entrega por delivery e tele entrega, medicamentos e produtos do programa Aqui Tem Farmácia Popular? Advogados especialistas em Farmácia Popular que trabalham com liminar para liberar venda do programa FP por entrega e delivery deverão ser consultados afim de se obter a melhor orientação para cada caso e cada empresa. A liminar para venda de remédios do Farmácia Popular com entrega em domicílio pode abrir caminho e jurisprudência para mudanças nos programa, evoluindo naturalmente a experiencia dos envolvidos.

Fonte: Conjur

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:



Palavras-chave , , , ,
Legislação e regulamentações, Farmácia Popular

Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
CUIDADO! O Ministério da Saúde, DAF e DENASUS NÃO PASSAM informações por telefone! Há muitas fraudes relacionadas ao Farmácia Popular. Certifique-se da veracidade das informações através do telefone e emails abaixo: (61) 3315-3361 - E-mails: [email protected], [email protected], [email protected]
+

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: