Mercado farmacêutico cresce de R$ 27,7 bi para R$ 40,3 bi em quatro anos

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

mercado-farmacêutico-cresce-O-faturamento-canal-farmácia-no-Brasil-saltou-em-quatro-anosNúmero de doses comercializadas no canal farmácia saltou de 76,30 bilhões para 121,63 bilhões no período.

O faturamento do mercado farmacêutico pelo canal farmácia no Brasil saltou de R$ 27,7 bilhões em 2010 para R$ 40,3 bilhões em 2014, considerando o período de 12 meses móveis até setembro. Cerca de 76,30 bilhões de doses foram comercializadas em 2010, número que cresceu para 121,63 bilhões em 2014.

“O mercado brasileiro da indústria farmacêutica deve continuar crescendo muito acima dos demais setores da economia, algo entre 13% e 14%.

E isso é um resultado positivo, se comparado com os resultados gerais da economia”, afirma Antônio Britto, presidente-executivo da Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa).

Os últimos dois anos registraram crescimento de 11% ao ano, enquanto nos dois anos anteriores o aumento anual das vendas foi de 9%. “O mercado farmacêutico brasileiro tem que ser otimista. Existe uma demanda reprimida por medicamentos que seguramente impulsionará o mercado nos próximos anos, independentemente do que aconteça com a economia”, avalia o presidente-executivo da Interfarma.

A divisão do mercado sofreu algumas alterações. Os medicamentos de referência, que representavam 46% das vendas em 2010, passaram a responder por 40% em 2014. Já os medicamentos genéricos e similares ganharam mercado, passando de 12% para 13% e de 42% para 48%, respectivamente.

“Para o crescimento ser ainda maior, dependemos de alguns pontos que precisam ser resolvidos pelo país. O primeiro deles é o fato de não haver uma resposta organizada e realista para a questão do acesso. Cerca de 74% dos medicamentos brasileiros são comprados e pagos pelo bolso das pessoas, sem apoio do governo. Isso significa que a medicação mais complexa e mais cara acaba não chegando à maioria da população”, comenta Britto.

O segundo ponto é a questão tributária. “O Brasil é campeão mundial em imposto sobre medicamentos. Temos uma situação injusta porque mesmo olhando os tributos dentro do país, o medicamento paga mais do que outros produtos, como, por exemplo, biquíni e ursinho de pelúcia; e isso prejudica o acesso da população a medicamentos”, conclui.

Sobre a Interfarma

Fundada em 1990, a Interfarma possui atualmente 55 empresas associadas. Hoje, esses laboratórios são responsáveis pela venda, no canal farmácia, de 80% dos medicamentos de referência do mercado e também por 33% dos genéricos produzidos por empresas que passaram a ser controladas pelos laboratórios associados. Além disso, as empresas associadas respondem por 46% da produção dos medicamentos isentos de prescrição (MIPs) do mercado brasileiro e por 52% dos medicamentos tarjados (50% do total do mercado de varejo).

Fonte: Maxpress

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:



Palavras-chave , , ,
Mercado farmacêutico
0
Conectando
Por favor, aguarde...
Como podemos ajudar?

Envie uma mensagem com sua dúvida, logo retornaremos para você:

* Nome
* E-mail
Telefone
* Mensagem
Atendimento on-line

Como podemos ajudar?

Estamos on-line, fique à vontade para iniciar uma conversa com a M2Farma.

* Nome
* Email
Telefone
* Mensagem
Atendimento on-line
Feedback

Help us help you better! Feel free to leave us any additional feedback.

How do you rate our support?

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: