O que faz um farmacêutico clínico?

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

(Texto atualizado em 29/10/2020 às 09:38 pm)

Farmacêutico clínico é o profissional que atua diretamente no cuidado ao paciente.

Com a expansão das áreas de atuação do farmacêutico, muitas pessoas têm buscado na farmácia, a prestação de serviços de saúde. 

Grande parte destes serviços podem ser oferecidos pelo farmacêutico clínico, o profissional que utiliza seus conhecimentos e propriedades para aprimorar os tratamentos médicos, atuar no rastreio e prevenção de doenças e promover a saúde da população. 

Entenda quais são as atribuições desse profissional e o impacto positivo de sua atuação no sistema de saúde.

Surgimento da Farmácia Clínica


De acordo com o
Conselho de Farmácia de São Paulo, “Farmácia clínica é uma prática farmacêutica especializada, cuja a responsabilidade é assegurar o uso de medicamentos de forma apropriada e segura nos pacientes, através de um conhecimento aplicado e especializado em função dos cuidados do paciente, o qual necessita de educação especializada e/ou treinamento estruturado.” Por isso, o atendimento do farmacêutico clínico se concentra no paciente, e não no manejo de medicamentos.

O termo ‘farmácia clínica’ surgiu nos anos 1960 nos Estados Unidos e define a área da farmácia hospitalar voltada para otimizar tratamentos e diminuir os riscos causados por remédios. Por promover o uso racional de medicamentos, o farmacêutico clínico promove também a saúde do paciente.

A farmácia clínica surgiu no Brasil em meio à acreditação de hospitais entre as décadas de 1980 e de 1990, onde houve a necessidade do acompanhamento farmacêutico em todos os processos da cadeia do medicamento no hospital.

Ao longo dos anos, as reavaliações no processo de acreditação hospitalar colaboraram ainda mais com o desenvolvimento da farmácia clínica, envolvendo a análise de todas as prescrições dos pacientes, cuidados clínicos e outras atividades.

Com o atual cenário competitivo e demandas dos pacientes por atenção à saúde, as farmácias e drogarias encontram na farmácia clínica uma maneira promissora de serviço. 

Os estabelecimentos se preparam para o atendimento clínico por disponibilizarem uma área na farmácia para sala de consultas, onde é possível realizar procedimentos específicos e atender com cuidado do paciente.

O quê um farmacêutico clínico faz?


O farmacêutico clínico é o profissional que é apto para promover o uso racional de medicamentos por meio  da revisão e acompanhamento de tratamentos interações medicamentosas, assim como descreve a regulamentação CFF 585/2013

O Conselho Federal de Farmácia indica que além de farmácias e drogarias, o farmacêutico clínico pode atuar em diversos estabelecimentos, sendo eles hospitais, ambulatórios, unidades de saúde, além de instituições geriátricas ou de atendimento domiciliar.

Veja a seguir quais são os diferentes tipos de serviço que o farmacêutico clínico pode prestar para os pacientes por meio de uma consulta farmacêutica.

1. Revisão de medicamentos

A revisão de medicamentos é um serviço no qual o farmacêutico realiza  uma análise dos medicamentos administrados pelo paciente. O objetivo é aperfeiçoar o uso de remédios e a adesão ao tratamento, ao analisar a dosagem, horário de consumo e possíveis interações medicamentosas.

Para isso é preciso que o paciente leve para a consulta farmacêutica todos os seus medicamentos, inclusive fitoterápicos e usados sob automedicação. 

Com a análise do farmacêutico, uma orientação completa do tratamento é feita, sanando as dúvidas do paciente. Ao final da revisão, o profissional disponibiliza uma lista completa dos medicamentos, indicando como administrá-los e ainda pode encaminhar recomendações para o médico responsável do paciente.

Essa competência é muito importante, visto que a toxicidade por interações medicamentosas e outras reações é alta. Dados do Conselho Federal de Farmácia revelam que a cada hora, três pessoas são vítimas de intoxicação causada por má administração de medicamentos. 

2. Orientações sobre saúde e prescrição de medicamentos

Em uma consulta farmacêutica, o profissional usa seus conhecimentos para perceber e avaliar sintomas trazidos pelos pacientes, investigando nessa conversa os problemas de saúde e podendo fazer o acompanhamento  da saúde com diversos procedimentos.

Ao investigar problemas que podem ser tratados sem necessidade de avaliação médica, o farmacêutico clínico pode recomendar e prescrever medicamentos e outros produtos isentos de prescrição médica.

No caso de suspeita de doenças mais graves, o farmacêutico deve encaminhar o paciente ao médico ou à outros profissionais de saúde, assumindo também o papel de educador em saúde ao fornecer informações confiáveis sobre saúde, bem-estar e nutrição. 

3. Rastreamento em saúde

Dentre as atividades clínicas, os farmacêuticos também é apto para fazer serviços de rastreamento em saúde na farmácia por meio da aferição de parâmetros clínicos e da realização de testes rápidos

O monitoramento do estado de saúde do paciente interfere diretamente na avaliação da consulta farmacêutica, contribuindo para a análise do paciente.

O rastreamento em saúde está caracterizado em diversos procedimentos e serviços, sendo os mais comuns a aferição de pressão, medição de temperatura e o teste de glicemia, para acompanhar quadros evolutivos de doenças e acelerar o encaminhamento médico.

Com a tecnologia, Testes Laboratoriais Remotos já podem ser feitos nas farmácias, sendo procedimentos confiáveis que contam com dispositivos inovadores para a detecção rápida de doenças. Isso contribui para a agilidade no encaminhamento dos pacientes ao serviço médico, dependendo do resultado do exame.

Como se tornar um farmacêutico clínico?

Ser um farmacêutico clínico exige competência profissional, pois é necessário que o especialista esteja capacitado para atender utilizando conhecimentos sobre patologias e farmacologia.

Com o mercado cada vez mais competitivo, a especialização em farmácia clínica após a graduação em farmácia traz o embasamento essencial para os que desejam se tornar farmacêuticos clínicos. É também altamente recomendada pelos profissionais da área a pós-graduação em farmácia clínica ao invés de cursos livres.

Na prática, o contato próximo com o paciente faz com que o farmacêutico clínico precise ter a habilidade de comunicação. Isso envolve saber questionar, perceber e interpretar os sintomas e queixas do paciente.

A pós-graduação é obrigatória para realizar serviços farmacêuticos?

Para realizar serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias, a pós-graduação em Farmácia Clínica não é obrigatória, desde que o farmacêutico tenha o conhecimento e o treinamento necessário para realizar tais serviços.  

Panorama da farmácia clínica no Brasil

No Brasil, a farmácia clínica vêm cada vez mais sendo requisitada e valorizada pelos pacientes. Um dos motivos é o envelhecimento da população brasileira. Idosos dependem de cuidados de saúde específicos e constantes para seu bem-estar. Por isso,  o farmacêutico clínico é um profissional apto e acessível para a prestação desses cuidados. 

A atuação do farmacêutico clínico e a prestação de serviços farmacêuticos já é uma realidade que está melhorando a experiência dos pacientes e aumentando o faturamento dos estabelecimentos.

Fonte: Hilab

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:



Palavras-chave , ,
Mercado farmacêutico, Carreiras e oportunidades

Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
Atualize seus Manuais de Boas Práticas e POPs para 2021 com 30% de desconto! Promoção por tempo limitado.

COMPRAR COM DESCONTO
+

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: