Raia Drogasil mais que dobra lucro até março

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

(Texto atualizado em 14/07/2015 às 02:34 pm)

raia drogasil mais que dobra lucroO lucro líquido da Raia Drogasil mais que dobrou de janeiro a março, passando de R$ 29,13 milhões para R$ 70,32 milhões, com receita líquida em R$ 1,96 bilhão, expansão de 19,2% ­ acima da taxa de crescimento prevista para o mercado de farmácias no período. Isso se reflete em ganhos de participação de mercado das marcas, com uma recuperação da fatia de venda da Drogasil em São Paulo, após redução em anos anteriores. Despesas operacionais subiram em ritmo inferior às vendas (16,5%) e, apesar da abertura de lojas, que pressiona o lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda), esse montante cresceu cerca de 64%, para R$ 152,3 milhões no trimestre.

O nível de rentabilidade voltou a aumentar, com margem Ebitda (ajustada) em 7,4%, expansão de 1,9 ponto em relação ao ano anterior. A margem bruta, de 28,8%, aumentou 1,5 ponto. “Os resultados aparecem porque estamos melhor preparados do que em outros anos, como 2013 [quando a integração das redes estava sendo coordenada]. A sensação que temos é que na hora em que ‘destravamos’ a empresa, os gargalos reduziram e os números foram aparecendo”, disse Eugênio De Zagottis, diretor de relações com investidores e planejamento corporativo. Entre 2012 e 2014, após fusão das redes anunciada em meados de 2011, um projeto de reestruturação praticamente finalizado buscou fazer as redes ganharem maior escala e eficiência. Com base nos dados anunciados ontem, os aumentos em volumes de venda, com ganhos de participação, somado a ajustes “táticos” de preços, reforçaram receita. A companhia fala em uma “melhor estratégia de precificação” ­ pode elevar preço se considerar que valor está abaixo do mercado ­ após criar uma equipe com 20 funcionários para novo departamento de gestão de categoria. Reajustes de preços de fabricantes, pressionados pela valorização do dólar, também ajudaram a “puxar” o valor das vendas. “Ainda existe aí o fato de que estamos em posição mais confortável do que alguns concorrentes grandes, temos caixa e melhores condições comerciais do que outras redes maiores e redes médias, mais estranguladas”, disse Zagottis. “Hoje, nos oferecem tudo quanto é ponto, o mercado imobiliário está mais favorável, porque há concorrentes com problemas para abrir lojas em alguns lugares”, disse Marcílio Pousada, presidente do grupo varejista. Velocidade menor de expansão nos gastos (despesas com vendas e administrativas eram 2,8% das vendas há um ano e caíram para 2,5% no terceiro trimestre) contribuíram para expansão no lucro. Melhoria operacional e conclusão do processo de integração, que acabam fazendo a empresa operar de forma mais eficiente, ajudam a entender ganhos no lucro. A empresa informou ainda que houve uma “recuperação progressiva de uma das marcas” do grupo, a Drogasil, na capital paulista. Em São Paulo, a empresa atingiu participação de 21,6% com ganho de participação de 1,1 ponto percentual. “Drogasil perdeu ‘share’ em 2013 e vem recuperando desde 2014″, diz Zagottis.

Fonte: Valor Econômico

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:



Palavras-chave , , ,
Mercado farmacêutico, Marketing Farmacêutico

Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: