Pesquisa revela que setor de higiene e cuidados para bebês faturou R$ 5,7 bi

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Segundo a empresa de pesquisas estratégicas Euromonitor, o mercado de higiene e cuidados corporais para bebês aumentou de R$ 3,6 bilhões para R$ 5,7 bilhões em cinco anos. Até o ano de 2019, a previsão é que o faturamento alcance o montante de R$ 8,4 bilhões.

Apesar desse número representar um crescimento mundial, o Brasil está na lista de mercados proeminentes do setor. Segundo informações divulgadas pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o País ocupa a quarta posição em consumo em todo mundo, com uma fatia aproximada de 7%.

De fato, diversos fatores são responsáveis por esse potencial nas vendas de kit para bebê. Enquanto nos anos 40, a média de filhos por brasileiro era de 6,2 filhos, no ano de 2004 essa média caiu para 2,1, de acordo com dados apresentados pelo IBGE. Além disso, é possível citar o acesso das classes C, D e E aos produtos do setor, bem como a participação crescente da mulher no mercado de trabalho.

Portanto, agora o brasileiro consegue investir com mais frequência em artigos como cremes e shampoo para bebê. Além disso, as indústrias do setor estão ainda mais preocupadas em lançar diversos tipos de produtos, utilizando tecnologias de alta qualidade. A lista de produtos é intensa, e inclui lenços umedecidos, protetores solares, pomadas para assaduras e ainda colônia para bebê.

Quando compram um kit bebê, boa parte dos pais procuram por produtos dermatologicamente e oftalmologicamente testados, que possam garantir a integridade da fórmula a fim de preservar a saúde e dos filhos. Cosméticos devidamente formulados para bebês, contam com um aroma suave e não agridem ou ressecam a pele – muitos deles sequer causam ardência quando entram em contato com os olhos.

Segundo o presidente da Abihpec, João Carlos Basílio, as linhas de produtos de higiene e beleza para os pequenos se diversificaram intensamente nos últimos anos. “As prateleiras dos supermercados brasileiros ganharam versões infantis de produtos de higiene e beleza antes restritos ao público adulto, como shampoos para desembaraçar cachos e cremes para pentear. E o interessante a respeito disso é que a maior parte dessa oferta surgiu de empresas de pequeno e médio porte”, disse, em entrevista.

Ainda de acordo com a Abihpec, o mercado de higiene pessoal e cosméticos para crianças de até 12 anos, fatura cerca de 4 bilhões de reais no País. Em dez anos, as vendas quadruplicaram. “Existem no Brasil 2.599 empresas atuando no mercado de produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, sendo que 20 empresas de grande porte, com faturamento líquido de impostos acima dos R$ 100 milhões, representam 73,0% do faturamento total”, afirma as estatísticas referentes ao ano de 2016 de Abihpe

Fonte: Portal Exame

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:


Mercado farmacêutico

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: