Arquivo do blog

Drogaria SP realiza encontro com Dr. Drauzio Varella

(Texto atualizado em 29/06/2020 às 08:25 am)

Drogaria São Paulo realiza encontro com Drauzio VarellaCom o tema “O que a tireoide tem a ver com o seu peso”, a Drogaria São Paulo e o Dr. Drauzio Varella realizarão um encontro com o objetivo é explicar sintomas e principais alterações na glândula, além da importância de prestar atenção aos sinais que o corpo dá e cuidar da própria saúde.

O evento acontece dia 18 de fevereiro, às 19h30, em São Paulo, no Teatro Eva Herz (Avenida Paulista, 2.073). A entrada é gratuita e os interessados em participar devem retirar os ingressos 2h antes do início. A palestra será transmitida pelo Facebook das marcas.


Palavras-chave , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Carreiras e oportunidades





Drogaria Total planeja 550 farmácias em 2020

Drogaria Total planeja alcançar o marco de 550 farmácias em 2020

(Texto atualizado em 18/06/2020 às 04:57 pm)

A Drogaria Total, rede associativista do Grupo Total – formado por 467 farmácias tradicionais, oito Drogarias Total Popular e a Coopertotal, uma cooperativa de compras – espera até o final do ano abrir mais três unidades populares, todas localizadas no estado de São Paulo (SP), e 72 lojas tradicionais em diferentes localidades. Assim, visando totalizar 550 farmácias pelo Brasil em 2020.

Só no estado de São Paulo, o Grupo está presente em mais de 280 cidades e também conta com lojas em Minas Gerais e no Paraná. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Qual o melhor regime tributário para minha farmácia ou drogaria

(Texto atualizado em 16/02/2020 às 11:52 pm)

Qual regime tributário ideal para a farmácia? Já se perguntou? Leia o texto abaixo para entender mais a respeito:

Definir o regime tributário ideal para a farmácia não é tarefa simples. A abertura de uma empresa exige que o empresário opte pelo aspecto tributário/fiscal para regê-la. Todos os estabelecimentos varejistas, independentemente do regime enquadrado, necessitam fazer controles de listas positiva, negativa e neutra para fins de apuração e recolhimento de impostos.

Por isso é preciso fazer uma análise minuciosa para escolher o regime tributário para farmácia mais adequado ao negócio. Muitas farmácias pagam mais impostos do que deveriam porque não conhecem a tributação. Não segregam os produtos vendidos pertencentes às listas e o ICMS pago na fonte. Por conta disso, a falta de entendimento sobre tributação gera custos operacionais que impactam no resultado da loja.

Para escolher o regime tributário ideal para a farmácia, os proprietários devem ficar atentos às regulamentações de cada estado, referentes ao recolhimento do ICMS, que tem impostos diferentes conforme a região.

Além disso, para não pagar impostos a mais, é importante fazer a segregação. Ou seja, subdividir a receita por incidência em cada produto, conforme legislação, para viabilizar o cálculo correto.

A seguir falaremos mais sobre os regimes tributários existentes, as particularidades de cada um e o que levar em consideração na hora de fazer a escolha. Confira!

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , ,
Impostos e tributos





Gestão Tributária para Farmácias

(Texto atualizado em 16/02/2020 às 11:47 pm)

QUAL O MELHOR PARA MINHA FARMÁCIA?

No Brasil, a União, Estados, Distrito Federal e Municípios valem‑se dos tributos pagos pelos cidadãos brasileiros, para manter a máquina administrativa. Como em toda economia, quanto mais se gasta no setor público, mais se tem que arrecadar do setor privado, para manter os serviços sociais, as obras públicas, o pagamento das folhas de todo o funcionalismo público. E – por que não dizer? – há ainda o dinheiro desviado pelas más administrações públicas, pela corrupção etc. O ônus recai sobre todos nós que pagamos impostos.

Os tributos são divididos em IMPOSTOS, TAXAS e CONTRIBUIÇÕES.

Imposto: transferência compulsória de dinheiro ao Governo, por parte de indivíduos ou instituição privada.

Taxa: é o tributo gerado em razão do exercício do poder de polícia ou pela utilização, efetiva ou potencial, de serviços públicos específicos e divisíveis, prestados ao contribuinte, ou postos a sua disposição.

Contribuição de melhoria: tributo decorrente de obras públicas em que ocorre efetiva valorização do imóvel do contribuinte.

 

PRINCIPAIS TRIBUTOS FEDERAIS PARA FARMÁCIAS: Leia mais ›


Palavras-chave , , ,
Impostos e tributos





Hora de climatizar a farmácia pois o verão bate à sua porta

(Texto atualizado em 02/09/2019 às 11:07 am)

Com verões cada vez mais quentes, o varejista deve estar o tempo todo atento à climatização da drogaria. Lojas quentes e abafadas afastam o consumidor; lojas climatizadas, ao contrário, são convidativas, levando o cliente a permanecer por mais alguns minutos. Durante esse tempo, as chances de ele comprar mais algum item são grandes, o que, no fim das contas, vai elevar o tíquete médio do ponto de venda.

“A climatização gera conforto para usuários e funcionários dos ambientes de varejo, além de melhor preservar as mercadorias do ambiente da farmácia”, diz o presidente do Departamento Nacional de Empresas Projetistas e Consultores, da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA), o engenheiro Mário Sérgio de Almeida.

Segundo o especialista, as farmácias devem atender às recomendações da ABNT NBR 16401, principalmente no que se refere à qualidade do ar interior. A norma traz recomendações sobre parâmetros de temperatura, umidade relativa do ar, renovação de ar interior, velocidade do ar, filtragem do ar ambiente, além de outros importantes itens.
Leia mais ›


Palavras-chave , , ,
Marketing Farmacêutico





Cadastramento no CNES para vacinação em farmácias

(Texto atualizado em 03/06/2019 às 12:15 pm)

O cadastramento da farmácia ou drogaria e demais empresas e estabelecimentos do ramo da saúde no CNES – Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – é necessário para que a farmácia ou drogaria possa realizar os serviços de vacinação, constando no sistema e podendo emitir o documento de regularidade de cadastro. Em alguns casos pode ser uma exigência prévia para outros procedimentos. Para se cadastrar no CNES, é necessário atender todos os requisitos em relação ao atendimento dos requisitos sanitários e demais requisitos, conforme julgar necessário o órgão responsável pelo cadastramento. O órgão responsável pelo CNES varia conforme a região da empresa, podendo ser alguma secretaria pública no município ou ainda estadual.

Como funciona

O procedimento para se credenciar no sistema CNES exige toda a documentação completa da empresa, e dos seus responsáveis legais e técnicos. Uma vez reunidos os documentos, será necessário o preenchimento de uma série de formulários eletrônicos ou físicos, nos sistemas do órgão ou pessoalmente. Entõ, o órgão fará uma análise e irá autorizar ou não o cadastro. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , ,
Legislação e regulamentações





Rede de farmácias Panvel mira omnichannel e abre portas para inovação

(Texto atualizado em 08/02/2020 às 09:59 am)


A rede de farmácias Panvel tem passado por uma verdadeira transformação digital nos últimos anos. A tecnologia foi posicionada como alavanca principal da maximização da experiência com o cliente e eliminação de atritos da jornada dos consumidores. As novidades tecnológicas incluem canais como PDV, portal, app e televendas, apostando no conceito de omnichannel, a integração entre todos eles.

Fazem parte da jornada recursos como a criação de um novo canal de vendas e atendimento (app) já com venda expressiva, compartilhamento de pontos de contato com o cliente com uma única funcionalidade, vendas cross channel, bem como adoção de chatbot com fornecimento de informações relevantes ao cliente em menos de 30 dias.

As inovações estão em linha com uma visão macro da empresa: a criação de uma plataforma omnichannel nativa para suportar a estratégia e suas ambições digitais, a chamada a OmniPharma. A plataforma abre a empresa para a inovação, compartilhando a mesma funcionalidade para qualquer canal, além de permitir interconectividade por meio de APIs para qualquer outro serviço, software, dispositivos IoT etc.

Mais do que abrir a empresa para plugar inovações, a plataforma permite o compartilhamento de informações entre diferentes canais, o que torna a experiência 99% igual para o cliente em qualquer canal que ele utilizar, inclusive transitando de uma para outra. É o que destacou Alexandre Arnold, CIO do Grupo Dimed, holding que, além da Panvel, controla a distribuidora de medicamentos Dimed e o laboratório farmacêutico Lifar.

“A plataforma permite experiência única aos clientes independentemente do canal, com benefícios de agilidade para novidades em toda rede, em todos os canais”, apontou o executivo, que liderou o projeto vencedor do prêmio As 100+ Inovadoras no Uso de TI, na categoria Comércio atacadista e varejista. A premiação é promovida pela IT Mídia em parceria com a PwC.

A ideia para criação do chassi, como Arnold define a plataforma, veio em 2014, quando a companhia iniciou o projeto de desenvolvimento do app Panvel. Foi quando a equipe percebeu a necessidade de unificar o desenvolvimento, replicando modelos.

“Antes, tínhamos um time para cada canal – PDV, televenda e site. Hoje, basicamente, é um time que cuida de front-end, com técnicas de User Experience, outra equipe na parte de web services e uma em APIs. Mudou o formato de entrega e concepção do produto”, destacou o executivo.

Recursos

Arnold ressaltou alguns dos principais recursos criados a partir da plataforma. Um deles é a aceitação de todas as carteiras digitais – já presente em 100% das lojas -, que permitem comprar no site ou app e retirada do medicamento em qualquer loja. Ainda, a rede está apostando no modelo de prateleira infinita. Com ela, caso o cliente não encontre o produto em determinada loja, pode realizar a compra e retirar em outra loja, receber em casa ou buscar em um locker – outra aposta da companhia, com o serviço já funcionando em Porto Alegre (RS) e em breve chegará a São Paulo (SP).

“Temos entrega pelo site, app ou televendas em mais de 60 cidades em até 2h. Trabalhamos com logística distribuída (mais de 70 pontos) para televendas, site e app, agilizando a entrega ao cliente.”

O sistema da companhia permite também consulta ao estoque por geoprocessamento a partir do ponto onde o cliente está de forma on-line em tempo real, evitando que o cliente vá até uma loja sem ter o produto de que procura, facilitando a rota com integração nos sistemas de navegação mais conhecidos, como Google Maps e Waze.

Arnold destaca também que o app permite construção de avisos alarmes para medicamentos, compartilhamento de cestas/listas entre conhecidos, acompanhamento do pedido on-line em tempo real com visão do mapa e movimentação dos entregadores.

Outras implementações foram a venda por cartão de crédito por meio da URA, via telefone, com segurança PCI, bem como a implementação de um chatbot, instalado há cerca de dois anos, que já atende de 35% a 40% de todas as interações com a empresa.

As inovações também chegaram às lojas físicas, que em grande parte já operam com Wi-Fi gratuito para clientes, além de oferecer atendimento via tablets, com possibilidade de usar a carteira digital da Panvel, que elimina a necessidade de fazer o pagamento no caixa.

O que falta

Segundo Arnold, o projeto está com cerca de 80% de seu roadmap concluído. A meta é completar no ano que vem, focando, sobretudo, em duas ações pontuais para chegar lá.

A primeira delas é incluir o Programa de Benefício em Medicamentos (PBM), iniciativa que oferece descontos em medicamentos. “Esse processo ainda está no sistema antigo e deve ir para o novo no primeiro trimestre de 2019”, afirmou.

Outra questão é a adaptação das lojas no Estado de Santa Catarina, o único do País que ainda não emite nota fiscal eletrônica. Com isso, o varejo local acaba sofrendo com a questão da impressora blindada, que limita o uso de mobile e, consequentemente, no caso da Panvel, a adoção de tablets nas lojas catarinenses.

Finalistas da categoria Comércio atacadista e varejista

1º Grupo Dimed – Alexandre Arnold, CIO
2º Armazém Paraíba – Francisco Augusto, CIO
3º Assaí Atacadista – André Campos, CIO

Fonte: ITF 365




Palavras-chave , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Marketing da Fini vem aumentando as vendas nas farmácias

Ação "Se liga que é Fini" amplia vendas nas farmáciasVeja esta ideia de marketing da marca Fini, realizando a ação direto na farmácia:

Compras a partir de R$ 10 em produtos trarão benefícios ao consumidor. Traçar parcerias com a indústria é a melhor maneira de um varejista obter acesso a ações de marketing diferenciadas, capazes de atrair o consumidor para dentro de loja e, o mais importante, fazê-lo efetuar compras além das planejadas e aumentar o tíquete médio. Oportunidades não faltam. Basta buscar estreitar o relacionamento com os fornecedores em prol de um crescimento conjunto.

Durante o mês de outubro, o consumidor que comprar R$ 10,00 em produtos Fini Brasil – balas de gelatina, marshmallows, tubes, regaliz e chicles – poderá transformar este valor em crédito no celular ou em um mês de assinatura de uma plataforma de séries e filmes.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , ,
Mercado farmacêutico, Marketing Farmacêutico





Pague Menos realiza campanha ambiental em Porto Velho

Nos últimos três anos, o Estado registrou 230 fechamentos de farmácias e 448 aberturas

Rede de farmácias promove evento e plantio de mudas na cidade no dia 20 de outubro.

Porto Velho, 19 de outubro de 2018 – Porto Velho recebe no próximo dia 20 de outubro a sétima edição da Campanha Cidade Verde da Farmácia Pague Menos que irá promover o plantio de mudas de ipê. Além de Rondônia, outros quatro estados vão receber a iniciativa.

Para celebrar a ação, a rede realizará um evento no Parque da Cidade, a partir das 17h e vai disponibilizar o serviço de atenção farmacêutica do Clinic Farma, como aferição de pressão, teste de glicemia para a comunidade. “Um dos pilares da Pague Menos é a preocupação com a responsabilidade social e ambiental.

Com essa iniciativa queremos engajar clientes e cidadãos a disseminar boas práticas de saúde, bem-estar e que beneficiem o ecossistema”, destaca a vice-presidente comercial Patriciana Rodrigues.

Fonte: Portal Rondo Notícias


Palavras-chave , ,
Mercado farmacêutico





Impostos e fisco nas farmácias e drogarias

Presidente do Sescon-SP (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo), Marcio Shimomoto é um mestre da contabilidade com grande familiaridade com o segmento do comércio farmacêutico.

Casado com uma farmacêutica bioquímica, hoje no serviço público, o escritório contábil que ele e seu pai comandam tem muitas farmácias e drogarias como clientes. Por isso, Shimomoto conhece como poucos a complexa malha fiscal que envolve o segmento. Aqui, ele esclarece alguns dos pontos polêmicos que podem confundir os empreendedores do setor.

 

A carga e agenda fiscal das farmácias e drogarias é diferente das demais empresas de comércio?

Não, mas há um complicador – a Substituição Tributária, que alcança quase todos os medicamentos. Leia mais ›


Palavras-chave , ,
Mercado farmacêutico





POPs – Farmácia ou Drogaria – Procedimentos Operacionais Padrão

(Texto atualizado em 29/03/2018 às 07:23 pm)

pops-farmacia-drogaria-anvisa-procedimentos-operacionais-padraoDe acordo com a resolução RDC 44 de 2009 da ANVISA, todas as farmácias e drogarias devem manter o Manual de Boas Práticas Farmacêuticas, específico para o estabelecimento, visando atender ao que é exigido pela lei, de acordo com as atividades realizadas.
O Manual de Boas Práticas Farmacêuticas deve conter os Procedimentos Operacionais Padrão (POPs), referentes, ao menos, às atividades relacionadas a:

– manutenção das condições higiênicas e sanitárias adequadas a cada ambiente da farmácia ou drogaria;
– aquisição, recebimento e armazenamento dos produtos de comercialização permitida;
– exposição e organização dos produtos para comercialização;
– dispensação de medicamentos;
– destino dos produtos com prazos de validade vencidos;
– destinação dos produtos próximos ao vencimento;
– prestação de serviços farmacêuticos permitidos;
– utilização de materiais descartáveis e sua destinação após o uso.

Os POPs devem ser aprovados, assinados e datados pelo farmacêutico responsável técnico. Devem estar previstas as formas de divulgação e treinamento aos funcionários envolvidos com as atividades por eles realizadas, e  revisão periódica dos POPs para fins de atualização ou correções.

M2Farma – Consultoria para Farmácias, facilita essa burocracia técnica ao disponibilizar Manuais de Boas Práticas Farmacêuticas, com todos os procedimentos POPs obrigatórios em drogarias e farmácias,  prontos e desenvolvidos especialmente para Farmácias e Drogarias.
Leia mais ›


Palavras-chave , , ,
Legislação e regulamentações





Manual de boas práticas farmacêuticas – Farmácia e Drogaria

(Texto atualizado em 29/03/2018 às 07:36 pm)

manual-de-boas-praticas-farmaceuticas-farmacia-drogaria-dispensacao-Boas práticas farmacêuticas é o conjunto de técnicas e medidas que visam assegurar a manutenção da qualidade e segurança dos produtos disponibilizados e dos serviços prestados em farmácias e drogarias, com o fim de contribuir para o uso racional desses produtos e a melhoria da qualidade de vida dos usuários.

As farmácias e drogarias devem manter uma documentação (Manual de Boas Práticas Farmacêuticas) que comprova sua adequação às exigências da ANVISA, apresentadas nas RDCs 44 de 2009 e 41 de 2012, que ditam regras para o comércio de medicamentos e produtos em farmácias e drogarias, assim como para a prestação de serviços exercida por esses estabelecimentos.

Atualize seu Manual de BP e POPs sem perder tempo. Enviaremos tudo pronto e personalizado.

Essas RDCs estabelecem os critérios e condições mínimas para o cumprimento das Boas Práticas Farmacêuticas para o controle sanitário do funcionamento, da dispensação e da comercialização de produtos e da prestação de serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias.

Com essas exigências, a Anvisa pretende promover o uso racional de medicamentos, a correta orientação de uso da medicação, e resgatar o direito à informação ao cidadão por profissionais habilitados e qualificados, bem como reduzir a automedicação e o uso abusivo de medicamentos.

A fiscalização deste documento fica por conta das agências de Vigilância Sanitária municipais, regionais ou estaduais, conforme a cidade onde se localiza a farmácia. É responsabilidade do farmacêutico manter atualizados todos os manuais.
Leia mais ›


Palavras-chave , ,
Legislação e regulamentações





Assuntos Regulatórios – Farmácia e Drogaria

(Texto atualizado em 09/06/2017 às 07:04 pm)

consultoria-para-farmacia-drogaria
M2Farma – Empresa especializada em Assuntos Técnicos e Regulatórios para Farmácias e Drogarias.

Experiência e profissionalismo em trâmites junto à ANVISA, Ministério da Saúde, Farmácia Popular, CRF, Vigilância Sanitária, etc.

Conheça nossa gama de serviços: Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , ,
Legislação e regulamentações





Lei que transforma farmácia em unidade de saúde entra em vigor hoje (25/09)

Nova legislação garante a população ser atendida por farmacêutico.

lei-transforma-farmacia-unidade-de-saúdeA Lei 13.021, que entra em vigor nesta quinta-feira (25/09), transforma as farmácias e drogarias do País em unidades de assistência à saúde, alterando sua caracterização de estabelecimentos comerciais para locais de promoção do uso racional de medicamentos.

Pela nova legislação, o proprietário não pode desautorizar o farmacêutico em momento algum.

Leia mais ›


Palavras-chave , , ,
Legislação e regulamentações





Anvisa define normas para volta dos emagrecedores ao mercado

anvisa-normas-emagrecedoresAgência proibiu remédios em 2011, mas Congresso suspendeu decisão.

Para voltarem a ser vendidos, medicamentos precisarão de novos registros.

A Anvisa aprovou, nesta terça-feira (23), uma resolução que estabelece as normas para a volta dos inibidores de apetite ao mercado. Os medicamentos femproporex, anfepramona e mazindol deixaram de ser vendidos no Brasil em 2011, quando a Anvisa os proibiu. No início do mês, porém, o Senado suspendeu essa decisão, liberando os remédios novamente.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , ,
Legislação e regulamentações





Autorizada a venda de artigos de conveniência em farmácias e drogarias no Acre

Leis suplementares às normas federais que regulamentam o funcionamento das drogarias do País podem ser editadas

O fato de a venda de medicamentos só poder ser feita em farmácias não quer dizer que esses estabelecimentos estão proibidos de vender outros produtos. Portanto, os estados podem editar leis suplementares às normas federais que regulamentam o funcionamento das drogarias do País. Com esse entendimento, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio, considerou constitucional a lei estadual do Acre que autoriza farmácias a vender cartões telefônicos, bebidas lácteas, cereais, chocolates, biscoitos e também a receber pagamentos de contas de luz, água, telefone e de boletos em geral. O voto foi seguido pelo Plenário da corte por unanimidade.

Leia mais ›


Palavras-chave , , ,
Mercado farmacêutico, Legislação e regulamentações





Erro: Não é permitido o envio de arquivos com tamanho superior a 1 MB. Por favor, revise seus dados.

Erro no sistema de peticionamento de AFE da ANVISA: Não é permitido o envio de arquivos com tamanho superior a 1 MB. Por favor, revise seus dados.

arquivo tamanho superior 1 mb afe anvisa

Tela do erro no sistema da ANVISA: Não é permitido o envio de arquivos com tamanho superior a 1 MB. Por favor, revise seus dados.

Os sistemas da ANVISA para peticionamento de Autorizações de Funcionamento (AFE) são bastante instáveis e problemáticos e colaboram para complicar ainda mais a burocracia que envolve o setor varejista farmacêutico.

Temos encontrado nos últimos dias um erro ao anexar o documento Alvará de Saúde (Sanitário) à petição. O sistema acusa tamanho inválido, e exige que seja anexado um arquivo de tamanho menor de 1 MB. A mensagem do erro é a seguinte: Não é permitido o envio de arquivos com tamanho superior a 1 MB. Por favor, revise seus dados. Nenhum arquivo foi enviado.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , ,
ANVISA





MP 653/14 não autoriza que farmácias troquem farmacêuticos por técnicos em farmácia

(Texto atualizado em 20/08/2014 às 09:27 am)

CRF-SP e CFF esclarecem possíveis dúvidas sobre a lei

A Medida Provisória (MP) 653/14, editada pela presidente Dilma Rousseff na segunda-feira, (08/8) está sendo interpretada de forma equivocada. As farmácias e drogarias brasileiras continuarão obrigadas a manter farmacêutico durante todo o expediente.

O Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP), em acordo com o Conselho Federal de Farmácia (CFF), esclarece que, apesar a Medida Provisória determinar que farmácias e drogarias consideradas micro e pequenas empresas, encaixadas no novo Supersimples, poderiam dispor de técnicos em farmácia como responsáveis, as condições impostas na própria medida desautorizam a determinação.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Legislação e regulamentações





Rede de farmácias CVS volta às compras no País

Rede-farmácias-CVS-volta-as-compras-no-PaísApós comprar a rede de farmácias Onofre, marcando sua entrada no Brasil, o CVS Caremark, maior grupo de varejo farmacêutico e serviços de saúde dos Estados Unidos, está de olho em novos ativos no mercado brasileiro. A gigante americana contratou o Pátria Investimentos para prospectar negócios.

Executivos do grupo americano tiveram conversas com Drogaria São Paulo/Pacheco, formada pela fusão da rede paulista e carioca, com o grupo Raia Drogasil, também fruto de fusão, e com BR Pharma, do BTG, segundo fontes familiarizadas com o assunto.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





RaiaDrogasil conclui integração e cresce pelo Nordeste

(Texto atualizado em 31/07/2014 às 02:38 pm)

raia-drogasil-crescimento-nordesteA maior rede de farmácias do país quer mostrar ao mercado que a fase mais difícil do processo de integração ficou para trás.

Quase três anos após a fusão que deu origem à maior rede de farmácias do País, a RaiaDrogasil começou, finalmente, a colher os resultados dessa união.

Ao divulgar na quinta-feira, 8, o balanço do primeiro trimestre, depois de um 2013 de números mais fracos, a companhia quer mostrar ao mercado que a fase mais difícil do processo de integração ficou para trás.

Internamente, 2014 está sendo tratado como o ‘ano um’ da nova empresa, que começou a ser desenhada em 2011.

A etapa mais complexa da integração das redes Droga Raia e Drogasil começou no dia 30 de setembro do ano passado e terminou em plena sexta-feira de carnaval.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: