Arquivo do blog

Johnson & Johnson recebeu 13 prêmios relacionados ao ambiente de trabalho em 2019

(Texto atualizado em 06/07/2020 às 02:51 pm)

johnson e johnson j e j

Em 2019 a Johnson & Johnson recebeu 13 prêmios por criar um ambiente de trabalho feliz, saudável e diverso para aqueles que trabalham com a missão de transformar a história da saúde na humanidade.

Dentre eles estão:

TOP Companies LinkedIn
TOP 50 Companies Open Startups
22 empresas mais humanizadas do Brasil
GPTW For All Mulher
GPTW 10 empresas que se destacam em políticas LGBTQI+
GPTW Melhores empresas para se trabalhar no Brasil
GPTW Primeira Infância
GPTW 10 melhores empresas para PCDs
GPTW Melhores empresas para se trabalhar em SP
InfoJobs Best CEO
InfoJobs Best Place to Work
Gartner Supply Chain
TOP 10 Carreira dos sonhos – Média e Alta liderança


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, Legislação e regulamentações





Como os testes de farmácia beneficiam a população e a indústria de saúde

Como o negócio de testes de farmácia beneficia a população e a indústria de saúde

O que é uma realidade há mais de 20 anos em nações desenvolvidas como os Estados Unidos, começa a ganhar força no Brasil: a proliferação de testes de farmácia – aqueles disponibilizados nos balcões ou prateleiras das drogarias – começa a ocorrer para além da checagem preliminar de gravidez. A sala de oportunidades que se abre no território brasileiro teve como primeira mobília o teste para o vírus HIV, quando lá em 2015 a ANVISA publicou resolução sobre as regras para os registros de produtos com esta finalidade. Os chamados autotestes de HIV passaram a ser disponibilizados há pouco mais de 1 ano nas farmácias com preço que varia entre R$ 60 e R$ 70, em média.

A abertura para os autotestes de HIV configura um rol imenso de benefícios para o mercado brasileiro. Se de um lado a população ganha meios acessíveis para uma triagem inicial de determinada doença, do outro a indústria de saúde vê no horizonte um vasto campo de oportunidades – que vai além das vendas desse tipo de produto, impactando sobretudo o segmento de laboratórios de análises clínicas.

Se no mundo desenvolvido a gama de opções de testes de farmácia está estabelecida, no Brasil ainda encaramos como uma tendência – uma forte tendência. Os estudos que vêm sendo realizados combinam a diversificação das chamadas matrizes de coleta (os meios utilizados para coletar o material que apontará o diagnóstico preliminar) com as doenças ou reações adversas do organismo em si. Isso evidencia que o desenvolvimento dos autotestes, independentemente da situação vivida pelo paciente, abre um imenso leque: do direcionamento para testes específicos à ampliação de novas matrizes de coleta de amostras para flexibilização da testagem de exames mais complexos nos laboratórios de análises clínicas. Hoje, o cenário de pesquisa e desenvolvimento de autotestes abrange cerca de 60 soluções para tornar acessível aos brasileiros a triagem em torno de doenças autoimunes, hormonais, neurológicas e infecciosas.

Num país como o Brasil, em que fatores de infraestrutura e clima são bem peculiares, trabalhar em cima da disponibilidade de diferentes matrizes de coleta é fundamental. Um exemplo já disponível – ainda não em farmácias – é o teste de intolerância e hipersensibilidade alimentar, feito a partir da coleta de sangue capilar por punção digital. Esse tipo de matriz – bem como saliva (swab bucal) e coleta de sangue em papel filtro – mitiga significativamente subnotificações (comuns em casos que envolvem saúde pública) e/ou ausência de diagnóstico que têm como origem limitações logísticas. É o caso de diagnósticos negativos de dengue, principalmente em regiões afastadas dos grandes centros urbanos do país. Devido à estabilidade da amostra de sangue, limitada a 7 dias e à conservação em temperaturas entre 2 e 8ºC, essas subnotificações alteram de modo significativo as estatísticas relacionadas à doença. Para se ter uma melhor dimensão, há um estudo da FIOCRUZ Bahia que conclui: o número de casos de dengue seria 12 vezes maior que o tornado público devido exatamente às subnotificações. Esses e outros dados levaram os autores do estudo a concluírem que a vigilância tem subestimado, substancialmente, a carga da doença no Brasil.

Assim, o investimento em diferentes matrizes de coleta – e a posterior viabilização de autotestes e/ou autocoleta – são meios imprescindíveis de combater enfermidades ou distúrbios. Se comparada à coleta de sangue convencional, a utilização do papel filtro, por exemplo, mostra um promissor caminho: ele apresenta estabilidade de 30 dias e conservação em temperatura ambiente.

Não se pode negar, portanto, que este movimento de inovação e tecnologia em novos diagnósticos, a partir do ponto de vista da acessibilidade da população em identificar determinada doença com um autoteste e/ou pela autocoleta, traz boas perspectivas para a saúde populacional. Alzheimer e outras doenças neurológicas, que até o momento não são curáveis, já estão sendo estudados pelo prisma do diagnóstico preliminar via testes laboratoriais menos complexos, como pela coleta de saliva, por exemplo. A detecção e tratamento iniciado precocemente – ainda que não haja a cura – pode reduzir os sintomas e entregar melhor qualidade de vida ao paciente.

Já pelo lado da indústria farmacêutica e saúde, essa tendência dos testes de farmácia configuram uma oportunidade enorme para a produção industrial – por universidades e laboratórios – em grande escala, com custos reduzidos e garantia de qualidade. Num futuro próximo, o mercado da saúde vai migrar para uma atuação mais personalizada, mais autossuficiente, com a entrega de soluções que colaborem para uma maior autonomia, acesso e poder de decisão pela população.

Se considerado o valor de exames nos laboratórios de medicina diagnóstica, a margem de lucro com autotestes pode não ser alta, porém ganha-se no volume, uma vez que a maior acessibilidade e autonomia da população certamente irá desencadear grande demanda. Além disso, um eventual resultado positivo força o exame mais detalhado e confirmatório, estabelecendo-se correlação com o que há anos se pratica em casos de gravidez quando previamente apontada num teste de farmácia.

De um lado, fácil acesso, baixo custo, e maior independência para diagnosticar problemas de saúde e tratá-los com razoável chance de boa manutenção de qualidade de vida. Do outro, a diversificação de receitas e o crosseling natural para o diagnóstico preciso com exames complementares e medicamentos ou atividades associadas ao tratamento. Como se pode constatar, o futuro desenhado em torno dos autotestes é uma relação ganha-ganha para todos os envolvidos, público-final, laboratórios e indústria. E o melhor: com duração ininterrupta, muito mais que os 9 meses de uma gestação.


Palavras-chave , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Conselho Federal de Farmácia oferece rastreamento de diabetes gratuito

istock

Segundo dados da última pesquisa publicada pela International Diabetes Federation (IDF), mais de 5,7 milhões de brasileiros têm diabetes e não sabem, e outros 14,6 milhões podem desenvolver a doença em um futuro próximo. De olho nessa fatia da população não diagnosticada, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) organiza, até o dia 30 de novembro, uma série de exames gratuitos em 400 farmácias do país para identificar pacientes.

Os participantes passarão por teste de glicemia capilar, medida da circunferência abdominal, medição de peso e altura, e responderão a um teste para avaliar o risco de desenvolvimento do diabetes. O atendimento é gratuito e, no Distrito Federal, acontece em 10 farmácias credenciadas (confira a lista aqui).

No Brasil, são 400 farmácias participantes, e o CFF pretende avaliar quase 12 mil pessoas. O presidente do conselho, Walter Jorge João, explica que a presença desses estabelecimentos em quase todo o país e a capacidade técnica dos farmacêuticos são diferenciais na campanha. “Ao participar da ação, o farmacêutico dá visibilidade ao seu trabalho e consolida a imagem da farmácia onde trabalha como local de cuidado à saúde”, afirma.

 




Palavras-chave , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





GSK entrega 4 milhões de doses da vacina contra a Meningite C

PFARMA

(Texto atualizado em 29/05/2020 às 05:42 pm)

Esforços conjuntos de instituições públicas e privadas buscam garantir a vacinação de rotina da população neste momento de pandemia

Em meio ao período desafiador de pandemia do novo Coronavírus, instituições públicas e privadas unem seus esforços para que o calendário vacinal e a vacinação de rotina da população brasileira sejam mantidos.

Coincidindo com a Semana Mundial da Imunização, em uma ação conjunta entre a farmacêutica GSK, a Funed e o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, cerca de 4 milhões de doses da vacina contra a Meningite C chegaram neste domingo (26/04) ao Brasil e serão disponibilizadas ao Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Uma farmácia em Santa Maria Novella

Segredos de Florença: a farmácia da Santa Maria Novella

(Texto atualizado em 27/05/2020 às 03:09 pm)

A história do estabelecimento começa em 1221, quando frades dominicanos começaram a preparar remédios, bálsamos e pomadas com as ervas que eram cultivadas em seus jardins – uma atividade bastante comum naquela época. Pouco a pouco, os produtos medicinais se tornaram famosos fora dos muros do monastério e em 1612 a farmácia da Basilica di Santa Maria Novella abriu suas portas para o público.

 (Officina Profumo-Farmaceutica Santa Maria Novella/Divulgação)

 (Officina Profumo-Farmaceutica Santa Maria Novella/Divulgação)

Querida pela família Medici, a marca não demorou a se tornar famosa em outros países. Um de seus produtos mais emblemáticos, o perfume L’Acqua della Regina, foi criado especialmente para Catarina di Medici usar no dia de seu casamento com Henrique II, o então rei da França. A farmácia passou a ser uma propriedade privada em 1817, mas esse e outros itens ainda são fabricados seguindo a mesma fórmula de centenas de anos atrás.

Reserve seu hotel em Florença 

Como já era de se esperar, usar os produtos da antiga realeza italiana, que vêm em embalagens vintage, não é barato. As pastilhas saem por € 5, os sabonetes por € 10, os pot-pourri (misturas de pétalas secas que perfumam o ambiente) por € 15 e as eau de toilette por € 80. E a lista continua com incensos, velas, espumas de barbear, pomadas…

 (Officina Profumo-Farmaceutica Santa Maria Novella/Divulgação)

 (Officina Profumo-Farmaceutica Santa Maria Novella/Divulgação)

Mesmo que você saia de mãos vazias, vale a pena visitar a loja antes ou depois de conhecer a Basilica di Santa Maria Novella. O belíssimo salão principal costumava ser uma capela, com afrescos representando os continentes, e todo o mobiliário de madeira é o mesmo do século 17. Além disso, há ali uma biblioteca com afrescos da Paixão de Cristo e um museu com os utensílios e maquinários que eram usados na fabricação dos produtos.

A Officina Profumo-Farmaceutica di Santa Maria Novella fica no número 16 da Via della Scala, a três minutinhos a pé da igreja. Aberta diariamente das 09h00 às 20h00.

Mais dicas e fotos no Instagram: @barbara.ligero


Palavras-chave , , , ,
Marketing Farmacêutico





CFF suspende fiscalização em razão da pandemia por coronavírus

PFARMA

(Texto atualizado em 29/05/2020 às 05:43 pm)

Por causa da pandemia de COVID-19, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) baixou resolução suspendendo os procedimentos de fiscalização externa e os prazos processuais no âmbito dos conselhos de farmácia. Os conselhos regionais de farmácia deverão adotar os atos necessários ao seu funcionamento durante o período de pandemia do novo Coronavírus e conforme a sua situação local. Com efeito, a fiscalização continuará sob a forma orientativa e colaborativa, encaminhando-se as autoridades as matérias que não for de sua competência, nos termos do artigo 10 da Lei Federal n. 3820/60. A medida foi publicada no Diário Oficial da União de hoje e tem validade indeterminada, podendo ser revogada a qualquer momento.

A justificativa do CFF é a de que os fiscais, ao visitar farmácias, laboratórios e outros estabelecimentos de saúde onde hajam farmacêuticos em atuação, podem favorecer a proliferação do vírus, diante da dificuldade de acesso aos equipamentos de proteção individual, em falta no mercado. A fiscalização diária envolve visitas a diversos estabelecimentos, o que tornaria o fiscal um potencial vetor do vírus, na contramão das atuais determinações do Ministério da Saúde. Além disso, durante a fiscalização das atividades farmacêuticas, o profissional teria de reservar parte do seu tempo para atendimento ao fiscal, o que poderia atrapalhar o atendimento à população. Conforme prevê a conforme prevê a Lei Federal nº 13.021/14, as farmácias são postos avançados de assistência à saúde e têm sido muito requisitadas nesse momento.

O CFF reforça a necessidade da presença do farmacêutico durante todo o tempo de funcionamento das farmácias, especialmente agora. Mais do que nunca a expertise técnica desse profissional é imprescindível nos estabelecimentos de saúde onde atuam, principalmente nas farmácias. “Além das atividades privativas, que como o nome diz são intransferíveis, o farmacêutico, com seu conhecimento, é que vai garantir que todas as medidas de contenção da proliferação do vírus  serão tomadas”, alerta o presidente da Comissão de Fiscalização do CFF, Romeu Cordeiro.

O presidente do CFF, Walter da Silva Jorge João, destaca que a suspensão da fiscalização não deve resultar no afastamento por parte do Sistema CFF/CRFs. Pelo contrário! Ele destaca que os conselhos regionais estão orientados a acompanhar a situação em suas jurisdições e atuar de forma a garantir o funcionamento dos estabelecimentos de saúde conforme os preceitos éticos e legais.

Além disso, respeitando suas atribuições legais, os conselhos têm atuado fortemente no sentido de garantir as condições adequadas de trabalho aos farmacêuticos nesse momento. O próprio CFF reforçou ao Ministério da Saúde a necessidade de medidas que venham garantir a normalização do abastecimento de EPIs no mercado e, por meio do Plano de Resposta à Pandemia de COVID-19 para a Farmácias Privadas e Públicas da Atenção Primária, divulgado na semana passada, reforçou aos farmacêuticos que eles têm o direito de acesso a esses equipamentos. O plano também traz orientações como a de demarcação do espaço de atendimento, respeitando 2 metros para filas de pacientes sem máscara ou 1 metro para aqueles com máscara. Veja o plano aqui –

“O momento que estamos vivendo é extremamente delicado e exige adequações emergenciais e muito empenho para evitarmos o agravamento da pandemia. E nesse sentido quero agradecer a todos os colegas farmacêuticos, que estão na linha de frente, no atendimento à clientela das farmácias e demais estabelecimentos de saúde, e também na retaguarda, em atividades como abastecimento de medicamentos e a pesquisa de vacinas e da cura. Quero reiterar que estamos juntos e que os conselhos de Farmácia continuarão cumprindo o seu papel para que todos consigamos superar a pandemia da melhor maneira possível”, disse o presidente do CFF.

RESOLUÇÃO Nº 681, DE 20 DE MARÇO DE 2020

Adota procedimentos “ad referendum” do Plenário em decorrência do novo Coronavírus (COVID-19).

O Conselho Federal de Farmácia (CFF), no uso de suas atribuições previstas na Lei Federal nº 3.820, de 11 de novembro 1960, por sua Diretoria, “ad referendum” do Plenário;

Considerando a declaração de emergência em saúde pública de importância internacional pela Organização Mundial da Saúde em 30 de janeiro de 2020, em decorrência da infecção humana pelo novo Coronavírus (COVID-19);

Considerando a Portaria nº 188/GM/MS, de 4 de fevereiro de 2020, que declara emergência em saúde pública de importância nacional (ESPIN), em decorrência da infecção humana pelo referido vírus;

Considerando a classificação pela Organização Mundial de Saúde, no dia de 11 de março de 2020, como pandemia do novo Coronavírus;

Considerando a Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, determinando procedimentos para o enfretamento de emergência de saúde pública de importância nacional decorrente do novo Coronavírus;

Considerando o pedido da Organização Mundial de Saúde para que os países redobrem o comprometimento contra a pandemia do novo Coronavírus;

Considerando que a situação demanda o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública, a fim de evitar a disseminação da doença; resolve:

Art. 1º – Ficam suspensos todos os prazos processuais no âmbito dos conselhos de farmácia, bem como os procedimentos de fiscalização externa.

Art. 2º – Os conselhos regionais de farmácia deverão adotar os atos necessários ao seu funcionamento durante o período de pandemia do novo Coronavírus e conforme a sua situação local.

Art. 3º – Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.

WALTER DA SILVA JORGE JOÃO
Presidente do Conselho

Fonte: Comunicação do CFF

Leia também:

– Alta do dólar e coronavírus podem fazer medicamento ficar mais caro no Brasil

– Índia limita exportação de medicamentos por causa do Coronavírus

– Como se prevenir do coronavírus


Palavras-chave , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Teste rápido para dengue gera fila em farmácia de Maringá

Teste rápido

(Texto atualizado em 29/04/2020 às 11:49 am)

A busca pelo diagnóstico rápido de dengue tem gerado muita procura em uma farmácia de Maringá. Desde ontem, 11, a farmácia oferece aos clientes o teste rápido para dengue. O resultado fica pronto em até 20 minutos.

“O teste da dengue é super simples de fazer e rápido. Somente com uma gota de sangue do dedo já dá para fazer o exame e a gente emite um laudo com o resultado se foi positivo ou negativo. A gente sempre recomenda procurar um médico também, independentemente do resultado”, disse o gerente da farmácia, Miguel Moreira.

O teste rápido, até então, está disponível somente em uma farmácia de Maringá e custa R$ 39,90. Na tarde desta quarta-feira, 12, pelo menos cinco pacientes aguardavam para fazer o exame. Alguns estavam sentindo os sintomas.

“Tem seis dias que procurei o médico, fiz o exame e deu negativo. Mesmo assim o médico pediu pra eu refazer o exame caso os sintomas permanecessem, por isso decidi vir aqui que é mais rápido”, comentou Alexandre Rodrigues, paciente que aguardava o resultado.

O teste rápido para dengue é aprovado pela Agência Nacional de Segurança Alimentar (Anvisa) e está no protocolo de atendimento do SUS no Brasil. O teste rápido é usado pelo Governo Federal principalmente em períodos pré-endêmicos, antes da epidemia, para verificar qual vírus está circulando (dengue, zika ou febre amarela).

De acordo com o protocolo do SUS, o diagnóstico precoce auxilia os médicos no manejo clínico dos pacientes e na indução de providências adicionais relacionadas à vigilância epidemiológica e prevenção de novos casos.

Fonte: Portal GMC


Palavras-chave , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, Legislação e regulamentações





Eurofarma recebe Prêmio Equidade na Liderança

eurofarma laboratorio

(Texto atualizado em 29/05/2020 às 05:42 pm)

A Eurofarma, presente em 20 países e há 16 anos entre as melhores empresas para trabalhar pelo GPTW e Exame, participou da nona edição do Fórum Mulheres em Destaque, evento realizado em 27 de novembro, em São Paulo, e foi agraciada com o Prêmio Equidade na Liderança.

Produzido pela CKZ Diversidade em parceria com a ONU Mulheres e HeforShe, o prêmio considera os indicadores da pesquisa Great Place to Work (GPTW) e destaca as iniciativas de grandes empresas sobre liderança feminina e equidade de gênero e a importância para o atual ambiente de trabalho.

“Este prêmio é uma conquista de todos nós e mostra como estamos no caminho certo para a equidade de gênero em toda a Eurofarma. O fato de possuirmos 50% dos cargos de liderança ocupados por mulheres, alinhados às iniciativas como licença-maternidade, Espaço Criança, Encontro de Gestantes e Lactare, nos posicionam como uma empresa de muito destaque neste tema, e isso é um motivo de muito orgulho para todos nós”, comenta Daniela Panagassi, diretora de Recursos Humanos.

O Fórum Mulheres em Destaque foi o primeiro evento no Brasil a tratar sobre a importância da ascensão das mulheres aos cargos de lideranças nas corporações.


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Importação de produtos farmacêuticos cresce 77% em Goiás

PFARMA

(Texto atualizado em 16/04/2020 às 12:01 pm)

Os produtos farmacêuticos lideraram a lista de importações em Goiás no mês de janeiro e dados da balança comercial brasileira apontaram que a indústria farmoquímica no Estado está mais aquecida em 2020.

Segundo os índices divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, do montante de US$ 324,9 milhões gastos nas importações do Estado, US$ 115,7 milhões são insumos do setor farmacêutico. O valor representa um crescimento de 77,35% em relação ao mês de janeiro do ano passado.

Goiás sedia o segundo maior pólo farmoquímico do Brasil. Localizado a 60km de Goiânia, em Anápolis, o distrito abriga seis indústrias farmacêuticas e outras 17 do setor químico. O grande potencial da região atrai investidores de todas as partes do país, como é o caso da Distribuidora de Medicamentos e Produtos de Saúde – FUTURA, com sede no Rio de Janeiro. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica





Vida acelerada dos consumidores impacta nos negócios

(Texto atualizado em 14/04/2020 às 10:57 am)

Pesquisa aponta como consumidores e empresários encaram a era da conectividade

Grandes mudanças estão acontecendo no plano pessoal e social e as pessoas estão passando por transformações drásticas em seus valores, percepções e formas de relacionar com si e com o mundo. Que tipo de ser humano está sendo construído nesse novo contexto de transformação digital e qual impacto esse cenário provoca no consumo e relacionamento com as marcas? Para trazer essas respostas, a Officina Sophia Minds & Hearts, empresa pertencente à HSR Specialist Researchers, desenvolveu a pesquisa Uma Vida Conectada para entender como as pessoas estão se relacionando com a velocidade das transformações e se estão se sentindo beneficiadas com esse novo cenário.

Para a maior parte das 2.650 pessoas entrevistadas em todo o Brasil, com idade entre 18 e 49 anos, das classes ABC, a velocidade não é inimiga da perfeição. O estudo detectou que 60% dos respondentes admitem que estão fazendo as coisas de forma mais rápida e melhor do que há cinco anos, e este índice eleva-se entre os mais jovens (69%). Mais do que isso, elas acreditam que, de maneira geral, estamos todos nos sentindo beneficiados e nos transformando com o momento atual. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Senado homenageia Faculdade de Farmácia da USP e seu ex-reitor, Lineu Prestes

Plenário do Senado Federal durante sessão especial destinada a comemorar 120 anos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) e homenagear o professor Lineu Prestes.  Requerente da sessão, senadora Marta Suplicy (MDB-SP), recebe diploma de homenagem das mãos da diretora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), Primavera Borelli.  Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

“Registrar o passado não é falar de si; é falar dos que participaram de uma certa ordem de interesse e de visão do mundo, no momento particular do tempo que se deseja evocar.” Com essa citação do sociólogo e professor Antônio Cândido, a diretora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da Universidade de São Paulo, Primavera Bonelli, registrou os 120 anos da instituição e o papel fundamental do ex-reitor da USP, Lineu Prestes, para a história daquela escola.

A FCF comemora 120 anos de fundação, sob o nome de Escola Livre de Farmácia de São Paulo, mas com origens remontando aos anos de 1800, quando começou uma trajetória reconhecida por sua contribuição à sociedade paulista e brasileira no ensino de ciência, saúde, tecnologia e inovação, salientou Primavera. Foi a terceira instituição de ensino superior de São Paulo, pioneirismo que permanece até os dias atuais, já que é uma das cinquenta melhores escolas de Farmácia do mundo, disse. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Anvisa prioriza registro de géis antissépticos e desinfetantes em razão do coronavírus

(Texto atualizado em 18/03/2020 às 08:22 am)

anvisa vigilancia sanitaria

Agência prioriza a análise de processos de registro de géis antissépticos para mãos, água sanitária e desinfetantes de uso geral e hospitalar.

A Anvisa informa que irá priorizar a análise de processos de registro de géis antissépticos para mãos, água sanitária e desinfetantes de uso geral e hospitalar. A medida ocorre devido à declaração de emergência em saúde pública no Brasil pelo Ministério da Saúde e de pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), devido ao novo coronavírus.

É importante destacar que determinados produtos de higiene e saneantes têm assumido cada vez mais importância no enfrentamento do vírus, por sua eficácia e acessibilidade.

Além disso, são essenciais na fase de tratamento dos infectados, reduzindo ao máximo a transmissão de microrganismos durante qualquer assistência à saúde realizada.

A priorização visa ampliar o acesso a produtos de higiene pessoal e produtos de limpeza com ação antimicrobiana, comprovadamente seguros e eficazes para o combate ao novo coronavírus.

Por fim, esclarecemos que os requisitos para regularização dessas categorias de produtos, conforme as Resoluções da Diretoria Colegiada – RDC 07/2015, RDC 59/2010, RDC 46/2002, RDC 42/2010 e RDC 14/2007 – e demais normas pertinentes, devem ser atendidos integralmente.

Por: ASCOM/ANVISA

 


Palavras-chave , , , , , , , , , ,
ANVISA





Reajuste do preço dos medicamentos 2020

(Texto atualizado em 14/03/2020 às 02:38 pm)

custo medicamentos

A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) deve aprovar um reajuste entre 3,15% e 5,13% para os medicamentos em 2020.

No dia 9 de março foi publicado em Diário Oficial da União (DOU) o Fator de Ajuste de Preços Relativos Entre Setores (Fator Y) em 1,20%.

O índice definido pela CMED vale a partir de abril. O percentual não é um aumento automático nos preços, mas uma definição de teto permitido de reajuste, ou seja, cada empresa pode optar pela aplicação do índice total ou menor, a depender das estratégias comerciais.

Para chegar ao índice, a CMED observa fatores como a inflação dos últimos 12 meses (IPCA), a produtividade das indústrias de medicamentos (X), custos não captados pela inflação, como o câmbio e tarifa de energia elétrica (Y) e a concorrência de mercado (Z).

Para exercer o direito ao ajuste, as empresas fabricantes devem encaminhar as informações de vendas realizadas no segundo semestre do ano passado e informar qual percentual de ajuste pretendem aplicar, não podendo ultrapassar o máximo autorizado para cada classe de medicamentos.

A CMED publica, mensalmente, no site da Anvisa, a lista com os preços de medicamentos nas diferentes alíquotas de ICMS incidentes. Em caso de descumprimento dos preços máximos permitidos ou de aplicação de ajuste em um índice superior ao máximo definido, as empresas infratoras ficam sujeitas a penalidades que podem variar entre 649 a 9,7 milhões de reais.

Preço do Medicamento

Desde 2015, o Ministério da Saúde, a Anvisa e os demais Ministérios que compõem a CMED adotam critérios para melhor adequar o índice à realidade do mercado farmacêutico, favorecendo a concorrência. A fórmula de cálculo, aprovada por consulta pública, garante maior transparência, por detalhar toda metodologia de cálculo do ajuste; segurança, por utilizar apenas fontes oficiais e públicas; previsibilidade, por determinar datas de divulgação dos fatores; e maior racionalidade, por estimar com precisão a concorrência de mercado e por usar fontes que refletem melhor todo o mercado brasileiro de medicamentos.

CMED

Criada em 2003, a CMED é um órgão interministerial, presidido pelo Ministério da Saúde, que tem, dentre outras atribuições, a competência para definir diretrizes e procedimentos relativos à regulação econômica do mercado de medicamentos, estabelecer critérios para a fixação e ajuste de preços, bem como zelar pela proteção dos interesses do consumidor desses produtos, podendo, inclusive, decidir sobre aplicação de penalidades.

A CMED estabelece limites para preços de medicamentos, adota regras que estimulam a concorrência no setor, monitora a comercialização e aplica penalidades quando suas regras são descumpridas, garantindo assim o direito do consumidor de obter o melhor preço de medicamentos no país. Além disso, ela é responsável também pela fixação e monitoramento da aplicação do desconto mínimo obrigatório para compras públicas.

Fonte: CMED


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





O caminho entre a natureza e a farmácia

(Texto atualizado em 16/02/2020 às 11:35 pm)

BOTUCATU – O jardineiro Aparecido Nazaré de Almeida, de 62 anos, nunca foi de se preocupar com possíveis ataques de animais a cada vez que entrava em algum local com mato mais alto. Não foi diferente no começo de abril deste ano, quando foi chamado para limpar um terreno que antigamente havia sido um ferro-velho em Botucatu, interior de São Paulo.

“Não vi, mas havia um enxame no meio dos entulhos. Quando entrei com a roçadeira, elas me quebraram. Veio abelha no braço, no pescoço, no rosto, tomei picada até no couro cabeludo”, conta.

O acidente, que resultou em algo entre 100 e 200 picadas – e uma sensação de estar sendo “induzido ao fogo”, seguida de tontura, fraqueza, redução da pulsação e da temperatura -, tornou Almeida um candidato a um teste clínico que vinha sendo conduzido na Unidade de Pesquisas Clínicas (Upeclin) da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Botucatu para um novo produto, um soro antiapílico – justamente para combater os efeitos de veneno de abelha. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Papel da farmácia no cuidado oncológico

Papel da farmácia no cuidado oncológico

(Texto atualizado em 30/01/2020 às 11:18 am)

Este será o tema da palestra do Programa IOP Orienta, do Instituto de Oncologia do Paraná

O Programa IOP Orienta, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP, promove no dia 31 de outubro, às 17h00, nas dependências do Valencis Curitiba Hospice, a palestra “O papel da Farmácia no cuidado oncológico”. O tema será apresentado pela farmacêutica Crislayne Bontorin, formada em Farmácia pela UniBrasil e pós-graduada em Farmácia Clínica Oncológica pelo Hospital Erasto Gaertner (HEG).

Crislayne destaca os principais temas que serão abordados em sua palestra: “É  importante o paciente conhecer o que o profissional farmacêutico faz além de cuidar do seu medicamento. Que o caminho percorrido até a administração da quimioterapia, em várias etapas, existe um farmacêutico que avalia interações medicamentosas, doses, orienta sobre os medicamentos (dias de aplicação, reações adversas, antieméticos, armazenamento). Também é importante que os pacientes saibam que o farmacêutico é o responsável por preparar as quimioterapias e como isso acontece. Vamos sanar todas as dúvidas e a participação de pacientes, familiares ou acompanhantes será fundamental”, cita.

A palestra “O papel da Farmácia no cuidado oncológico” faz parte do programa IOP Orienta, desenvolvido pelo grupo educativo formado por profissionais da equipe multiprofissional – enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas e psicólogos – e tem por objetivo a troca de informações e orientações dos profissionais do Grupo IOP para pacientes, familiares e cuidadores. Fonte: Difundir – SP


Palavras-chave , , , ,
Mercado farmacêutico





Qual o melhor regime tributário para minha farmácia ou drogaria

(Texto atualizado em 16/02/2020 às 11:52 pm)

Qual regime tributário ideal para a farmácia? Já se perguntou? Leia o texto abaixo para entender mais a respeito:

Definir o regime tributário ideal para a farmácia não é tarefa simples. A abertura de uma empresa exige que o empresário opte pelo aspecto tributário/fiscal para regê-la. Todos os estabelecimentos varejistas, independentemente do regime enquadrado, necessitam fazer controles de listas positiva, negativa e neutra para fins de apuração e recolhimento de impostos.

Por isso é preciso fazer uma análise minuciosa para escolher o regime tributário para farmácia mais adequado ao negócio. Muitas farmácias pagam mais impostos do que deveriam porque não conhecem a tributação. Não segregam os produtos vendidos pertencentes às listas e o ICMS pago na fonte. Por conta disso, a falta de entendimento sobre tributação gera custos operacionais que impactam no resultado da loja.

Para escolher o regime tributário ideal para a farmácia, os proprietários devem ficar atentos às regulamentações de cada estado, referentes ao recolhimento do ICMS, que tem impostos diferentes conforme a região.

Além disso, para não pagar impostos a mais, é importante fazer a segregação. Ou seja, subdividir a receita por incidência em cada produto, conforme legislação, para viabilizar o cálculo correto.

A seguir falaremos mais sobre os regimes tributários existentes, as particularidades de cada um e o que levar em consideração na hora de fazer a escolha. Confira!

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , ,
Impostos e tributos





CRF-SP atualiza sua plataforma de capacitações online

CRF-SP atualiza sua plataforma de capacitações online - CRF-SP

(Texto atualizado em 14/01/2020 às 10:09 am)

 

O CRF-SP lança hoje a nova plataforma da Academia Virtual de Farmácia. A ferramenta traz um visual mais moderno e utiliza tecnologia responsiva, ou seja, se adapta a qualquer tipo de dispositivo eletrônico como celulares ou tablets, o que contribui para facilitar o seu acesso e utilização.  Além disso, a nova plataforma da Academia Virtual possibilita a emissão de certificados após a conclusão do curso e a realização da avaliação do aprendizado.

A Academia também ganhou uma nova categoria, que são os cursos (possuem avalizações e certificados para os participantes), e uma grade de atualização mais completa, com a inclusão de quatro novos temas:  Boas práticas na dispensação de medicamentos com ênfase em POP; Boas práticas na farmácia magistral com ênfase em POP; Como montar uma farmácia – passo a passo; e Gestão em farmácia hospitalar. Para facilitar o acesso, os cursos foram divididos em quatro eixos que contemplam as áreas de Cuidado farmacêutico, Gestão, Legislação e Prescrição Farmacêutica.

A plataforma pode ser utilizada gratuitamente por farmacêuticos inscritos e regulares no CRF-SP e contribui para estimular e possibilitar o aperfeiçoamento profissional continuo àqueles que estão em locais distantes, que não têm disponibilidade de horário para participar de cursos presenciais, ou ainda que prefiram essa forma de estudo.

Ao todo são disponibilizados 14 cursos, cinco capacitações e três campanhas de saúde. Outra novidade é a inclusão da área “Fiscalização Orientativa”, que disponibiliza textos sobre o tema.

O login e o usuário para quem já possui cadastro na antiga plataforma serão mantidos. Para quem deseja se inscrever pela primeira vez, basta acessar http://ensino.crfsp.org.br/moodle e acompanhar o passo a passo.

Fonte: CRF-SP


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Vacina para adultos com 65 anos ou mais

Para adultos com 65 anos ou mais - CRF-SP

A Anvisa aprovou o registro do imunobiológico Fluzone Sênior, uma nova vacina influenza trivalente inativada, desenvolvida para a administração em idosos (adultos com 65 anos ou mais). Em sua composição, o produto traz duas variações da cepa influenza do tipo A — H1N1 associada à H3N2 — e, ainda, a cepa influenza tipo B.

De acordo com o fabricante, o uso do produto tem como objetivo induzir melhores respostas imunológicas e mais eficácia contra a gripe por meio do teor mais elevado de antígenos, os quais estimulam a produção de anticorpos contra o vírus no organismo.

Segundo informações do portal do Ministério da Saúde, a vacinação é considerada a intervenção mais importante para a redução do impacto da influenza. Estudos demostram que esta ação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações provocadas pelo vírus.

A vacina Fluzone Sênior foi registrada pela via de desenvolvimento individual, de acordo com a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 55, de 2010, que dispõe sobre o registro de produtos biológicos novos e produtos biológicos. A detentora do registro no Brasil é a Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.

 

O que é influenza?

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o vírus influenza provoca uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global. Uma pessoa pode contraí-la várias vezes ao longo da vida e, em geral, essa infecção tem evolução autolimitada. Em alguns casos, porém, pode evoluir para uma forma grave.

Segundo o MS, existem três tipos de vírus influenza (A, B e C), que são transmitidos facilmente por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Eles causam infecção aguda das vias aéreas associada a febre (temperatura superior a 37,8°C). Os demais sinais são habitualmente de aparecimento súbito e incluem calafrios, mal-estar, dor de cabeça, fadiga, vômito, diarreia, tosse seca, entre vários outros.

Idosos, crianças, gestantes e pessoas com alguma comorbidade (existência de duas ou mais doenças simultaneamente) possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à infecção por influenza, conforme o MS.

No Brasil, o período de maior circulação do vírus da gripe vai do final de maio até agosto, todos os anos.

Fonte: Anvisa


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Canabidiol já pode ser comprado em farmácia de alto custo do Distrito Federal

(Texto atualizado em 12/12/2019 às 12:32 pm)

A partir desta semana, os familiares dos pacientes que precisam de medicamentos a base de canabidiol, no Distrito Federal, não necessitam mais entrar na Justiça para conseguir os remédios.

Essa é a promessa da Secretaria de Saúde do Distritto Federal, que publicou uma portaria padronizando a compra dessas substâncias.

Até a semana passada, a pasta só adquiria os medicamentos se os interessados entrassem na justiça.

Agora, aqueles que precisam dos remédios a base de canabidiol no Distrito Federal precisam fazer cadastro na farmácia de alto custo pelo telefone 160 indicando o CPF do paciente ou responsável, nome do medicamento e substância ativa, que constam na receita médica.

Também é necessário ter autorização de importação da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que pode ser obtida no endereço portal.anvisa.gov.br.

A pedagoga Lídia de Carvalho, mãe de Uriel, de 2 anos e 11 meses, sofre para conseguir o medicamento a base de canabidiol com a Secretaria de Saúde.

A criança nasceu com uma doença genética rara que provoca desordem metabólica. Sem o remédio, Uriel pode sofrer 200 convulsões por dia.

Mas, mesmo com comprovação médica da necessidade da substância, Lídia só conseguiu comprar o remédio depois que a Justiça ordenou a secretaria a depositar o dinheiro diretamente em sua conta.

Luana Alves é outra mãe que utiliza o medicamento a base de canabidiol para melhorar a qualidade de vida do filho.

Ela teve que entrar na Justiça para obter a substância e acha que a mudança na aquisição desses remédios pela Secretaria de Saúde vai ajudar as famílias que precisam.

Desde 2015, a Secretaria de Saúde comprou 206 unidades de produtos diversos a base de canabidiol para 21 pacientes.


Palavras-chave , , , , , , , , , , ,
Indústria farmacêutica





Fernandópolis repudia EaD na saúde

Fernandópolis aprova moção de repúdio

(Texto atualizado em 12/12/2019 às 12:35 pm)

Moção de repúdio é aprovada por vereadores contra EAD

Proposta pelo vereador João Pedro da Silva Siqueira, a Câmara Municipal de Fernandópolis aprovou o requerimento de Moção de Repúdio contra a graduação na área da saúde exclusivamente em EaD na sessão de 2 de outubro.

Dentre as diversas razões apresentada no documento, o vereador considerou que os polos de ensino a distância aparentemente não cumprem as exigências legais, não dispõem de equipamentos adequados e suficientes para atender o número de acadêmicos e não são fiscalizados de forma eficaz.

“A graduação na modalidade EAD se toma uma contradição na medida em que não assegura quesitos fundamentais para o processo de formação na área da saúde, sendo um problema a ser enfrentado dentro dos preceitos éticos, pois a vida humana é prioridade e deve estar acima de qualquer outro interesse”, relatou o vereador João Pedro.

A moção de repúdio de Fernandópolis será encaminhada ao Ministério da Educação (MEC), ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e ao presidente do Senado Federal, Eunício Lopes de Oliveira, solicitando que seja dado conhecimento desse requerimento a todos os deputados e senadores.

Fonte: CRF-SP


Palavras-chave , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: