Arquivo do blog

Vítimas de violência doméstica poderão fazer denúncia em farmácias

Vítimas de violência doméstica poderão fazer denúncia em farmácias

Pela campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, basta mostrar um X vermelho na palma da mão para que o atendente ou o farmacêutico entenda tratar-se de uma denúncia

Uma campanha promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) pretende incentivar as vítimas de violência doméstica a denunciarem agressões nas farmácias.

Pela campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, que será lançada hoje (10), basta mostrar um X vermelho na palma da mão para que o atendente ou o farmacêutico entenda tratar-se de uma denúncia e em seguida acione a polícia e encaminhe o acolhimento da vítima.

A ação é voltada para as mulheres que têm dificuldade para prestar queixa de abusos, seja por vergonha ou por medo. “A vítima, muitas vezes, não consegue denunciar as agressões porque está sob constante vigilância. Por isso, é preciso agir com urgência”, disse a presidente da AMB, Renata Gil, de acordo com o material da campanha.

Cerca de 10 mil farmácias de todo o país, filiadas a duas associações do setor, são parceiras na iniciativa. Segundo o material da campanha, atendentes e farmacêuticos seguirão protocolos preestabelecidos para lidar com a situação e não necessariamente serão chamados a testemunhar nos casos.

Entre março e abril deste ano, já em meio à pandemia do novo coronavírus, os casos de feminicídio cresceram 22,2% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com um levantamento feito em 12 estados e divulgado na semana passada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

No mesmo levantamento, o FBSP apontou queda na abertura de boletins de ocorrência ligados à violência doméstica. Para a entidade, os dados do levantamento demonstram que, ao mesmo tempo em que estão mais vulneráveis durante a crise sanitária, as mulheres têm tido mais dificuldade para formalizar queixa contra os agressores.

Portal Guia da Farmácia cria área restrita a profissionais da saúde 

Foto: Abrafarma

Fonte: IstoÉ Dinheiro


Palavras-chave , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Você sabe como fazer uma cobrança conforme o perfil do inadimplente?

Você sabe como fazer uma cobrança conforme o perfil do inadimplente?

(Texto atualizado em 08/03/2021 às 03:16 pm)

Se você trabalha ou já trabalhou com crediário próprio na sua farmácia, sabe como fazer uma cobrança pode ser algo penoso. Não é nada fácil manter uma rotina de recebimento à prazo no atual cenário econômico brasileiro. De acordo com dados do Banco Central, a taxa de endividamento da população subiu para 44,04%, maior índice se comparado com o mesmo período de 2016.

Mesmo sabendo desses dados, ainda sim é possível manter boas estratégias de vendas utilizando o crediário próprio. Afinal, existem bons pagadores no mercado! Mas quando a farmácia descobre que vendeu para maus pagadores, será possível recuperar o dinheiro aparentemente perdido? Para responder essa pergunta, continue lendo o artigo e veja quais as técnicas de cobrança e negociação devem ser utilizadas para cada perfil de pessoa inadimplente.

Receber pelo produto vendido é um direito seu!

Antes de mais nada, é importante que você entenda: Não existe qualquer lei que impeça sua farmácia de entrar em contato com a pessoa devedora para realizar o pagamento da dívida.

O problema é que muitos confundem isso com a forma de abordagem. Isso sim é amplamente protegido pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). Então muita atenção quando for falar com os clientes inadimplentes. Nada de constrangimentos ou ameaças.

Depois você precisa tomar consistência de quê:

Sua farmácia não vai perder clientes, vai ganhar bons pagadores!

Chega ser assustador a quantidade de donos de farmácia que não levam a sério o problema da inadimplência do seu negócio. Não receber pelo que foi vendido compromete severamente o fluxo de caixa, sendo um impacto muito grande no financeiro da farmácia.

Uma melhor forma de organizar e saber quais são as contas em atraso, é utilizar sistemas que oferecem o gerenciamento de contas a receber. Esqueça de uma vez por todas as notinhas! Todas as movimentações de entrada e saída devem ser registradas no sistema da farmácia. Isso vai permitir que você não esqueça qualquer dívida que tenha a receber. Após definir a organização das contas e saber de quem sua farmácia deve receber, é hora de traçar a melhor estratégia de recebimento.

Não confunda cobrança com negociação!

Muito antes de iniciar o processo de cobrança ou negociação com o cliente inadimplente, é fundamental que você entenda que cobrar é bem diferente de negociar.

Quando falamos em cobrar, estamos nos referindo ao processo onde queremos o que nos pertence por direito, de volta. Neste caso, o dinheiro referente a venda do produto. Dessa forma, quando a pressão exercida pelo cobrador não for levado a sério pelo inadimplente, a farmácia pode acionar os órgãos de proteção ao crédito (como Serasa, SPC e  SCPC).

Já no processo de negociação, é uma abertura ao diálogo, ou seja, quando as partes querem chegar em um acordo mútuo que seja benefício para ambos. Entender esses dois processos vai fazer diferença na hora da escolher a abordagem com o cliente inadimplente.

Então, o que é mais eficiente: Cobrar ou Negociar?

Na grande maioria das vezes, sempre a negociação vai ser a melhor escolha, pois ela permite um canal mais conciliador entre as partes interessadas. Mas nem sempre esse tipo de abordagem funciona bem. Existem casos em que a abordagem deve ser um pouco mais agressiva, mas sem passar dos limites do bom sendo e educação.

Na realidade, a melhor estratégia que a farmácia pode adotar depende do perfil do inadimplente, e o tempo de atraso da quantia devida. Geralmente as pessoas atrasam o pagamento das suas contas por 2 motivos bem básicos:

Incapacidade Financeira: estão nesse perfil de devedores pessoas que por motivos inesperados, como desemprego, doença grave, falta de controle financeiro na família, não conseguem honrar suas dívidas. Note que esse grupo deixa de pagar por força maior, isto é, não é proposital.

Inadimplência por Caráter: nesse grupo as contas deixam de ser pagas simplesmente por falta de caráter. As pessoas não se importam em deixar as contas atrasarem, e ainda pior, negam veementemente que possuem dívidas. Esse perfil não se incomoda com cobranças e até chegam ao ponto de ironizar o cobrador. Perceba que essas pessoas não pagam simplesmente porque não querem.

Agora que você já sabe quais são os dois principais grupos de inadimplentes, podemos colocar em prática a melhor estratégia para recebimento dos valores em atraso.

Para devedores por Incapacidade Financeira a melhor decisão estratégica, sem dúvida é a negociação. Isso porque essas pessoas querem honrar suas dívidas. Então se a farmácia oferecer bons prazos e condições de pagamento, é altíssima a probabilidade de receber seus débitos.

Já no caso dos devedores de Inadimplência por Caráter, a negociação pouco vai funcionar. Neste caso a farmácia deve cobrar as dívidas, deixando bem claro as consequências para a pessoa caso o valor não seja quitado. Como por exemplo a negativação do CPF na praça e o protesto judicial da dívida.

Mas como saber o perfil de inadimplência dos clientes?

Bem, essa tarefa não costuma ser tão fácil. Mas sim, é possível de ser feita. O ideal é que sempre antes de vender no crediário próprio a farmácia faça a consulta nos órgãos de proteção ao crédito e verifique se o CPF ou CNPJ do cliente possui alguma pendência.

Se a pessoa estiver limpa na praça, não há (teoricamente) problemas em prosseguir com a venda. Agora se já existe um histórico de inadimplência, é melhor pensar duas vezes antes de oferecer linhas de crédito.

Mas só isso não garante uma segurança no recebimento futuro. A farmácia tem que ter seu próprio histórico do cliente dentro do sistema. A partir daí observar se a pessoa está atrasando o pagamento por Incapacidade Financeira ou Inadimplência por Caráter.


Palavras-chave , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Clinic Farma passa a aplicar vacinas e fazer exames laboratoriais rápidos

(Texto atualizado em 03/06/2019 às 12:23 pm)

Para complementar a gama de serviços do Clinic Farma, a Pague Menos, única do varejo farmacêutico a estar presente em todas as unidades da federação, iniciou um projeto piloto que passa a oferecer aplicação de injetáveis, vacinas e a realização de exames laboratoriais rápidos, como Beta HCG (gravidez) e perfil lipídico (colesterol), cujos resultados saem em até 17 minutos.

Os novos serviços podem ser encontrados em 12 unidades da Pague Menos, sete em Fortaleza e as demais em Natal, Mossoró, Campo Grande, Brasília e Piracicaba, uma unidade em cada município. Não é necessário agendar os procedimentos. Neste piloto, a vacinação será realizada apenas em adultos na unidade da Pague Menos na Rua Senador Pompeu, em Fortaleza. A loja oferece imunização contra Influenza, HPV, Herpes Zoster, meningite, pneumonia e tríplice viral. As vacinas estarão disponíveis de acordo com o calendário de imunização do Ministério da Saúde, com exceção da Herpes Zoster, em que a oferta segue a demanda, além de ser necessário apresentar a prescrição médica.

“O Clinic Farma vai continuar como um serviço de atenção farmacêutica de fácil acesso, onde qualquer pessoa pode cuidar da saúde com comodidade e qualidade. Com o feedback positivo do público da Pague Menos e a novidade das aplicações de vacinas, injetáveis e exames simples, poderemos facilitar ainda mais a vida dos nossos clientes e aumentar o nível de satisfação deles”, afirma Socorro Simões, gerente do Clinic Farma.

A partir de outubro, as unidades da Pague Menos que possuem Clinic Farma nos estados de São Paulo e Espírito Santo também vão contar com um novo serviço. Em parceria com o laboratório Maxilabor, a rede de farmácias irá oferecer a coleta de material para a realização de exames toxicológicos exigidos na renovação da certeira de motorista do tipo D para caminhoneiros. Os interessados devem comprar o exame por meio do site ou do 0800 100 2365 da Maxilabor, que emitirá um voucher para ser apresentado na Pague Menos, a fim de que a coleta seja feita.

Clinic Farma

O Clinic Farma dispõe de salas dentro das farmácias Pague Menos exclusivamente para a prestação individual de serviços e atenção farmacêutica. Os clientes podem fazer acompanhamento do tratamento prescrito pelos médicos e do autocuidado, revisão da medicação, acompanhamento de diabetes, hipertensão, risco cardiovascular, asma, programas parar de fumar e perda de peso, entre outros. Além de incluir a realização de testes de verificação de pressão arterial, glicemia e bioimpedância. Após avaliação do farmacêutico, o cliente é encaminhado ao médico quando necessário.

Nas salas de atendimento farmacêutico da rede Farmácias Pague Menos há ainda orientação em relação a interações com outros remédios ou alimentos, melhores horários para a administração do medicamento e esquema posológico.

O primeiro Clinic Farma começou a atender a população em junho de 2014, em Fortaleza (CE). Hoje são 790 salas de atendimento, distribuídas em todos os estados, devendo ultrapassar o número de 900 até o final do ano. Em quatros anos, foram realizados nas salas de Clinic Farma mais de nove milhões de serviços farmacêuticos. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , ,
Carreiras e oportunidades, Marketing Farmacêutico





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: