Arquivo do blog

Medicamentos genéricos, de referência e similares são iguais?

medicamentos generico similar e referenciaTire as dúvidas dos consumidores no ponto de venda

A diferença entre esses produtos é ainda pouco conhecida, e por isso, seu uso costuma ser evitado por alguns consumidores. A coordenadora do curso de farmácia do Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), Mirna Martins, explica: “Os três tipos são diferentes, mas o resultado é o mesmo, quando o medicamento possui o mesmo princípio ativo, dosagem, posologia, via de administração e forma farmacêutica (apresentação). Ou seja, eles podem ser igualmente recomendados sendo que sempre prevalece a escolha do usuário”.

Leia mais ›


Palavras-chave , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, Legislação e regulamentações





Genéricos representam 23,7% do faturamento de indústrias farmacêuticas

(Texto atualizado em 31/07/2015 às 08:09 am)

genéricos  faturamento industria farmaceuticaÉ o que aponta levantamento exclusivo da PróGenéricos

As vendas de medicamentos genéricos responderam por 23,7% do faturamento das 10 maiores indústrias farmacêuticas em operação no Brasil. É o que aponta levantamento exclusivo da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos), que analisou os dados de mercado dessas empresas entre janeiro de 2014 e janeiro de 2015.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica





Cresce índice de confiança nos similares e genéricos

(Texto atualizado em 14/07/2015 às 02:06 pm)

aumento índice confiança medicamentos genéricosOs mais otimistas com relação a esses produtos são os idosos

A pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para o Mercado Farmacêutico (ICTQ) e o Instituto Datafolha, com o objetivo de mensurar o grau de confiança da população em relação aos medicamentos de referência, genéricos e os similares (comparativo entre dados de 2012 e 2014), contou com 2.162 entrevistados em 134 municípios em todo o Brasil, dos quais 28% da região Nordeste. Foram ouvidos homens e mulheres a partir dos 16 anos.

Em 2012, o índice de confiança para compra e consumo dos medicamentos similares em Fortaleza era de 23%, passando para 54% em 2014, resultado similar à média nacional. Neste período, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) passou a exigir das indústrias testes que comprovem a qualidade e equivalência terapêutica de um medicamento similar comparado ao de referência.

O índice de confiança nos genéricos em Fortaleza (2012) era de 60%. Em 2014, cresceu para 72% no Nordeste, ficando apenas um pouco abaixo da média nacional (73%). Em nível nacional, os mais confiantes neste tipo de produto são os idosos a partir dos 60 anos (78%).

Fonte: Diário do Nordeste


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica





Consumidor busca alternativas na hora de comprar medicamentos

(Texto atualizado em 14/07/2015 às 10:08 am)

consumidor busca alternativa na hora de comprarFique atento às medidas adotadas pelos clientes

Com a perda do poder de compra dos consumidores, valem todas as armas para economizar na hora de adquirir os produtos essenciais, como, por exemplo, medicamentos, que este mês tiveram o maior reajuste dos últimos seis anos (7,7%).

Segundo a coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), Maria Inês Dolci, em média, 12% da renda do consumidor está comprometida com medicamentos.

Leia mais ›


Palavras-chave , , ,
Mercado farmacêutico, Farmácia Popular





Medicamento de marca, genérico e similar: qual a diferença?

diferença-de-medicamento-de-marca-genérico-similarConsumidor precisa ser informado a respeito das categorias

Com milhares de fórmulas de princípios ativos disponíveis no mercado para o tratamento das mais variadas doenças, muitas pessoas ficam na dúvida na hora de comprar medicamentos. Seja pela marca do laboratório, pelo preço, por aconselhamento do médico ou do farmacêutico, ou ainda pelo receio de consumir medicamentos genéricos ou pela falta de conhecimento sobre o assunto, muitas pessoas acabam por pagar mais caro nos chamados “medicamentos de marca”.

Cabe ao farmacêutico explicar ao consumidor que um medicamento é um produto farmacêutico composto por uma ou mais moléculas, o que é chamado de princípio ativo. O objetivo primário de todo medicamento é atingir um alvo específico no corpo, promovendo benefícios a quem o toma. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , ,
Indústria farmacêutica





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: