Arquivo do blog

Nova líder da ePharma na área de operações

Nova líder da ePharma na área de operações

A farmacêutica Bruna De Vivo acaba de assumir o cargo de diretora associada de operações PBM e Redes da ePharmahealth tech pioneira no gerenciamento de programas de benefícios de medicamentos. Trata-se da primeira mulher a assumir uma diretoria executiva de uma área estratégica da empresa.

“Nosso principal desafio será focar no engajamento dos beneficiários finais, dentro de uma realidade cada vez mais digital e num contexto ainda de pandemia, a fim de manter um crescimento efetivo”, ressalta a executiva.

Em maio, Bruna completa 20 anos de atuação na ePharma, na qual foi inicialmente contratada para montar uma central de atendimento técnico farmacêutico. Depois de seis meses foi promovida a gerente técnico científico, período em que aprimorou o banco de dados de medicamentos da health tech e desenvolveu os relatórios técnicos farmacêuticos.

A executiva também permaneceu mais de dez anos trabalhando junto à indústria farmacêutica nas áreas comercial e de suporte de operações dos programas de desconto, que depois viria a se tornar um dos produtos mais rentáveis da companhia. Outro desafio foi comandar a área de relacionamento de operações da rede credenciada, onde atuou. Em 2018 também assumiu a operação dos programas de PBM corporativo e da indústria farmacêutica.

Bruna foi membro da Comissão de Saúde do Conselho de Farmácia de São Paulo entre 2009 e 2010, formou-se na Faculdade de Farmácia da Unisantos e cursou MBA na Fundação Dom Cabral, além de especialização em saúde pela PUC-SP.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico


Palavras-chave , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, Legislação e regulamentações





Governo lança nova campanha de vacinação contra sarampo

(Texto atualizado em 30/03/2021 às 04:05 pm)

O Ministério da Saúde lançou, nesta segunda-feira (10), uma nova campanha para imunizar crianças e jovens entre cinco e 19 anos contra o sarampo.

Só nesta primeira fase, o Ministério da Saúde vai enviar aos estados quase quatro milhões de doses da vacina. A meta é imunizar três milhões de crianças e jovens que não tomaram as duas doses necessárias para se proteger.

“O que eu vejo é as pessoas não conhecerem, ou acharem que essas doenças não existem, que são coisas do passado e o vírus está aí circulando. A gente tem que alertar que essa negligência, esse esquecimento, essa falta de cumprir uma caderneta de vacinação, o preço pode ser a vida dessa criança”, alertou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

O ministro também reforçou a importância da vacinação contra o sarampo por causa do risco do novo coronavírus.

“A gente sabe que esse vírus, ele pega normalmente pessoas que estão com a imunidade baixa, a pessoa que não está numa situação de imunidade ideal. E a vacina aumenta a imunidade, provoca o sistema imunológico e é um ganho extra a gente saber que a pessoa foi vacinada contra o sarampo, que você já elimina no período inicial aquele quadro clínico que pode eventualmente misturar, confundir com uma virose”, disse.

O ministério também decidiu manter a vacinação de bebês entre seis e 11 meses, a chamada dose zero. Essa dose de emergência foi colocada em 2019 no calendário de vacinação para proteger os bebês mais cedo, antes das duas doses normais, com um ano e um ano e três meses de idade.

O Pietro tem só nove meses e logo vai conviver com várias pessoas de fora da família.

“Ele tem que tomar as vacinas porque ele vai para a creche e tem que estar tudo em dia”, disse a mãe Carine Santos Souza.

Os casos de sarampo no Brasil diminuíram nos últimos meses, mas o vírus continua circulando e ele circula com facilidade. O sarampo é altamente contagioso. Por isso, em 2020, continua a estratégia: além de vacinar os bebês, fazer campanha para quem não tomou a vacina quando deveria.

Em 2019, o brasil teve 18 mil casos confirmados de sarampo. Mais de 16 mil deles no estado de São Paulo, principalmente na capital. Das 15 pessoas que morreram de complicações decorrentes do sarampo no país, 14 viviam em São Paulo.

Por isso, o estado quer vacinar muito mais gente do que o definido pela campanha nacional.

“Aquela criança de seis meses de idade até aquele adulto de 60 anos de idade precisam ir a uma unidade pública, consultar um profissional de saúde e verificar se o seu esquema vacinal, o seu histórico vacinal está adequado”, disse a diretora do Programa Estadual de Imunização de São Paulo, Núbia Araújo.

Fonte: Jornal Nacional


Palavras-chave , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Nova líder da Sanofi em Consumer Heath

Nova líder da Sanofi em Consumer Heath

(Texto atualizado em 04/03/2021 às 08:39 pm)

Uma das principais frentes de atuação da Sanofi no Brasil, a unidade de negócios de consumer healthcare (CHC) tem Sueli Thomé como nova diretora de RH Latam. Na farmacêutica desde 2012, a executiva já atuou em uma série de unidades da companhia, incluindo Medley (genéricos), CHC e Sanofi Pasteur (vacinas).

Sueli assume o desafio de liderar a gestão dos colaboradores dedicados à divisão de medicamentos isentos de prescrição médica e produtos de consumo nos países da América Latina, reportando-se diretamente ao diretor de RH Global da divisão, Sven Sommerlatte. Psicóloga e pós-graduada em gestão de empresas, Sueli tem mais de 20 anos de experiência profissional e já atuou em grandes empresas como Reckitt Benckiser, Ford e Inbev.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico


Palavras-chave , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, Legislação e regulamentações





Aprovada no Japão nova opção de tratamento para câncer de pulmão

Aprovada no Japão nova opção de tratamento para câncer de pulmão

O câncer de pulmão é o tipo mais comum de câncer em todo o mundo, com 2 milhões de casos diagnosticados anualmente, e é o segundo tipo mais comum no Brasil

A Merck, empresa líder em ciência e tecnologia, anuncia que o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão (MHLW) aprovou tepotinib para o tratamento de pacientes com câncer de pulmão de não pequenas células (CPNPC) irressecável, avançado ou recorrente com alterações skipping de MET éxon 14 (METex14). Tepotinib é administrado por via oral, 500mg uma vez ao dia, com dois comprimidos de 250mg. Esta é a primeira aprovação regulatória global de um inibidor oral de MET indicado para o tratamento de CPNPC avançado que possui alterações no gene MET. O tratamento recebeu anteriormente a designação SAKIGAKE (fast-track), além da designação de medicamento órfão pelo MHLW.

“Com tepotinib, temos o prazer de oferecer o primeiro inibidor de MET aprovado no Japão, e uma nova opção que pode mudar o curso do tratamento para câncer de pulmão de não pequenas células com alterações skipping de METex14”, disse Belén Garijo, CEO de Healthcare e Membro do Conselho Executivo da Merck.

Novo tratamento para o câncer de pulmão

A aprovação do tratamento no Japão é suportada por dados de 99 pacientes (incluindo 15 pacientes japoneses) com CPNPC com alterações de METex14 recrutados no estudo fase II de braço único em andamento, VISION. O objetivo primário, taxa de resposta objetiva avaliada por um Comitê de Revisão Independente (IRC), foi de 42,4% (IC 95%: 32,5, 52,8) em pacientes identificados por biópsia líquida (LBx) ou biópsia tecidual (TBx). A duração mediana da resposta baseada na avaliação independente foi de 12,4 meses para pacientes identificados com LBx (IC95%: 8,4 meses, não avaliável) e pacientes identificados com TBx (IC95%: 9,7 meses, NE). Em uma análise de segurança de 130 pacientes, tepotinib foi bem tolerado; os eventos adversos relacionados ao tratamento (TRAEs) mais frequentes de qualquer grau foram edema periférico (53,8%), náusea (23,8%) e diarreia (20,8%). TRAEs levaram à descontinuação permanente em 11 pacientes (8,5%).

“Identificar drivers oncogênicos para guiar o curso do tratamento de pacientes com câncer de pulmão é uma prática clínica recomendada; no entanto, anteriormente não havia nenhuma terapia aprovada direcionada especificamente às alterações de MET no CPNPC metastático”, disse o Dr. Hiroshi Sakai, diretor da Divisão de Oncologia Torácica do Saitama Cancer Center, Saitama, Japão. “Com a aprovação de tepotinib, agora temos uma nova opção de tratamento que atende a essa necessidade, oferecendo benefício clínico e duração da resposta com uma dosagem oral conveniente uma vez ao dia, representando um real progresso para pacientes com esse tipo agressivo de câncer de pulmão”.

Câncer de pulmão

O câncer de pulmão é o tipo mais comum de câncer em todo o mundo, com 2 milhões de casos diagnosticados anualmente, e é o segundo tipo mais comum no Brasil. Alterações da via de sinalização de MET são encontradas em vários tipos de câncer, incluindo 3% a 5% de casos de CPNPC, e correlacionam-se com o comportamento agressivo do tumor e com mau prognóstico clínico.

Descoberto internamente na Merck, tepotinib é um inibidor oral de MET desenhado para inibir a sinalização oncogênica deste receptor causada por alterações do gene MET, incluindo alterações skipping de METex14 e amplificações do gene MET, ou superexpressão da proteína MET. Em setembro de 2019, a US Food and Drug Administration (FDA) concedeu a Breakthrough Therapy Designation para tepotinib em pacientes com CPNPC metastático com alterações skipping de METex14 que progrediram após a terapia à base de platina. A Merck planeja submeter tepotinib para revisão regulatória junto ao FDA em 2020. Tepotinib também está sendo investigado no estudo INSIGHT 2 (NCT03940703) em combinação com o inibidor de tirosina quinase (TKI) osimertinibe, em CPNPC localmente avançado ou metastático com mutações do receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) e amplificação de MET, que seja resistente ao tratamento prévio com um TKI anti-EGFR.

Com 2 milhões de casos diagnosticados anualmente, o câncer de pulmão (incluindo traqueia, brônquios e pulmão) é o tipo mais comum de câncer no mundo. Além disso, a doença é a principal causa de morte relacionada ao câncer, com 1,7 milhão de casos de morte em todo o mundo. Alterações da via de sinalização do MET, incluindo alterações skipping de MET éxon 14 (METex14) e amplificações de MET, ocorrem em 3% a 5% dos casos de CPNPC.

Sobre tepotinib

Tepotinib é aprovado no Japão para o tratamento de câncer de pulmão de não pequenas células (CPNPC) irressecável, avançado ou recorrente com alterações skipping de MET exon 14 (METex14). Tepotinib é um inibidor oral de MET desenhado para inibir a sinalização oncogênica do receptor MET causada por alterações do gene MET, incluindo alterações skipping METex14 e amplificações de MET ou superexpressão da proteína MET. Descoberto internamente na Merck, foi projetado para ter um mecanismo de ação altamente seletivo8, com o potencial de melhorar os resultados em tumores agressivos que têm mau prognóstico e apresentam essas alterações específicas. Tepotinib está atualmente sob investigação clínica para CPNPC e ainda não foi aprovado em nenhum mercado fora do Japão. A Merck está avaliando ativamente o potencial de investigar tepotinib em combinação com novas terapias e em outras indicações de tumores.

 

Foto: Shutterstock

Fonte: Merck

 

 

 


Palavras-chave , , , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Nova tecnologia suprime rapidamente 95% do mosquito Aedes aegypti

PFARMA

(Texto atualizado em 30/11/2020 às 02:56 pm)

Mini-cápsulas do Aedes do Bem™ foram projetadas para equipar governos e comunidades de todos os tamanhos com uma solução para controle do Aedes aegypti altamente eficaz e economicamente sustentável

A Oxitec Ltd., líder no desenvolvimento de soluções biológicas seguras e direcionadas para controlar insetos que transmitem doenças e destroem plantações, anuncia os resultados preliminares de um teste bem-sucedido da sua nova tecnologia de mini-cápsulas do Aedes do Bem™. Realizado em estreita colaboração com a cidade de Indaiatuba, no Brasil, o método de mini-cápsulas do Aedes do Bem™ suprimiu, após apenas 13 semanas de tratamento, 95%* da população do Aedes aegypti, em comparação com as áreas de controle não tratadas na mesma cidade.

O tratamento envolveu a colocação de mini-cápsulas do Aedes do Bem™ em propriedades residenciais uma vez por semana, sem ferramentas ou manuseio especiais. O esforço gerou rápida supressão do mosquito em uma área onde moram aproximadamente 1.000 pessoas, e demonstrou 100% de eficácia da tecnologia na eliminação de larvas fêmeas, validando completamente a biossegurança do produto.

Este ensaio de campo para desenvolvimento do produto de mini-cápsulas do Aedes do Bem™ representa um grande avanço na tecnologia de controle vetorial direcionada e segura. Embora as tecnologias baseadas em insetos tenham demonstrado efeitos promissores de supressão nas últimas décadas, esta é a primeira solução baseada em insetos criada especificamente para fornecer uma supressão direcionada com simplicidade, escalabilidade e sustentabilidade econômica, tornando acessível para governos, comunidades e usuários finais de todos os tipos e níveis de renda os benefícios das soluções biológicas de saúde pública.

A tecnologia de mini-cápsulas usa o sistema proprietário da Oxitec para encapsular ovos da linhagem de 2ª geração do Aedes do Bem™ e, quando colocadas em uma pequena caixa com água, produzem e liberam apenas machos do Aedes do Bem, que são seguros, auto-limitantes e não picam. Esses machos, ao saírem da caixa, se dispersam no ambiente para acasalar com fêmeas Aedes aegypti selvagens em uma área de até 8 mil metros quadrados. Esse produto está sendo desenvolvido para ser a primeira tecnologia de controle do Aedes aegypti baseada em insetos que pode ser fabricada em instalações centralizadas, ser estavelmente armazenada e implantada sob demanda em qualquer lugar do mundo, sem equipe especializada ou equipamento especial.

Para acompanhar o estudo, a Oxitec encomendou uma pesquisa independente que mostrou que o apoio da comunidade local ao estudo foi alto, com 94% dos 1.200 residentes pesquisados a favor da tecnologia do Aedes do Bem™ e seu uso nos bairros da cidade.

“Temos enfrentado epidemias devastadoras de dengue no Brasil e novas ferramentas de controle de vetores são desesperadamente necessárias para auxiliar nossas cidades e comunidades. É por isso que o produto de mini-cápsulas do Aedes do Bem™ será tão impactante – ele pode fornecer um controle superior e seguro do Aedes aegypti por meio da fácil implantação de minúsculas cápsulas de ovos em caixas que não exigem infraestrutura dispendiosa ou operações complexas. Estamos tornando o controle do Aedes aegypti simples, sustentável e escalável – em outras palavras, é exatamente o que as cidades e comunidades do Brasil precisam neste momento crítico”, afirma Natalia Ferreira, diretora geral da Oxitec do Brasil.

De acordo com Grey Frandsen, CEO da Oxitec, o ensaio de campo foi inovador. “É a primeira vez que uma tecnologia de controle biológico de vetores é compactada em uma solução pequena, que pode ser transportada, armazenada, segurada na mão e implantada para trazer supressão de mosquitos em várias gerações e sem liberação de fêmeas. Para começar a combater a expansão das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, precisamos de uma geração totalmente nova de ferramentas de controle de vetores que sejam acessíveis e economicamente viáveis – e que possam capacitar uma coalizão mais ampla a participar desta batalha. Como demonstramos com sucesso neste ensaio, nossa abordagem com mini-cápsulas do Aedes do Bem™ é exatamente isso. Esse teste excedeu nossas expectativas de desempenho e, agora, estamos nos preparando para testes de campo maiores”.

No início deste mês, a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) concedeu à Oxitec uma Permissão de Uso Experimental (EUP) para testes de campo dessa mesma tecnologia nos Estados Unidos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 390 milhões de pessoas são acometidas pela dengue todos os anos, com aproximadamente metade da população mundial em risco. O número de casos de dengue relatados à OMS aumentou mais de 15 vezes nas últimas duas décadas. O Aedes aegypti, um mosquito invasor encontrado em todo o mundo, também transmite zika, chikungunya e febre amarela.

A diretora da Oxitec, Natália Ferreira, fala sobre a nova tecnologia em live promovida pelo Colégio Positivo na próxima terça-feira, dia 26, às 17h. Aberta à comunidade, a live pode ser acessada pelo Facebook do Colégio Positivo (facebook.com/ColegioPositivo.Oficial/).

* 95% foi a média móvel mais alta em janelas de duas semanas; a média semanal individual mais alta foi de 98%; a média móvel mais alta em janelas de quatro semanas foi de 92%.

FONTE Oxitec


Palavras-chave , , , , , , , , ,
ANVISA





Nova solução permite o cálculo tributário de medicamentos

Guia da Farmácia

Ferramenta on-line desenvolvida pela SimTax promete ajudar os gestores de farmácias na tomada de decisões

Uma ferramenta on-line de simulação que faz o cálculo tributário de quaisquer medicamentos, contemplando a Substituição Tributária (ST), Custo e Lucratividade, tudo de forma simples e rápida.

Em síntese, esta é a definição do software LucraMed, desenvolvido pela SimTax – empresa especialista em Tributação e Pricing no Mercado Farma, e que acaba de ser lançado.

“Nosso grande diferencial é que, hoje, não existe uma ferramenta como o LucraMed, que faz o cálculo em tempo real de todos os medicamentos“, analisa o CEO da SimTax, Jiovanni Coelho.

Em resumo, além de permitir o cálculo tributário de medicamentos, o LucraMed permite outras funcionalidades. Entre elas:

  • Calcular o custo efetivo que a farmácia deve ter;
  • Calcular o lucro que a farmácia deve alcançar com um determinado medicamento;
  • Por exemplo, comparar cenários diferentes, como avaliar qual a lucratividade de um Programa de Benefício em Medicamentos (PBM);
  • Por fim, comparar medicamentos com os concorrentes. Afinal, será possível simular, de forma simples, para decidir o melhor mix para a categoria.

Ademais, Coelho reforça que, com este sistema, o gestor da farmácia poderá tomar as melhores decisões. Aliás, com as informações nas mãos, terá condições de negociar melhor.

Além disso, a ferramenta permite comparar o preço negociado com o que realmente veio na nota fiscal. “Com mais informações em mãos, a loja poderá checar se aquilo que foi combinado, foi cumprido”, reforça.

Cálculo tributário de medicamentos de forma simples

A saber, o LucraMed poderá ser utilizado no celular, tablet ou computador. Nesse sentido, basta selecionar o produto, colocar o desconto e pronto: o cálculo está feito!

Dessa forma, com o cadastro certo e também sabendo qual a lucratividade do artigo negociado e seus concorrentes, segundo Coelho, o gestor da farmácia poderá apresentar para o vendedor da indústria a informação de forma clara.

Em conclusão, a farmácia concluir se o concorrente tem a melhor proposta. Assim, avaliará que para comprar de uma determinada indústria, pode ser necessário ter uma melhor condição comercial.

“O LucraMed é uma ferramenta fundamental tomada de decisões”, finaliza Coelho.

Variáveis utilizadas pelo LucraMed para o o cálculo tributário de medicamentos

  • Preço
  • Repasse
  • Desconto de compra
  • Preço Máximo ao Consumidor (PMC)
  • Redutor a base de calculo
  • Margem de Valor Agregado (MVA)
  • Trava
  • Crédito de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
  • Débito de ICMS
  • Base de cálculo
  • Desconto de venda
  • Substituição tributária
  • Custo
  • Lucro
  • Margem
  • Mark-up
  • Preço Farmácia Popular

Fonte: SimTax


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Legislação e regulamentações





Nova moção de repúdio contra os cursos EaD – CRF-SP

Câmara Municipal de Bariri aprova moção de repúdio aos cursos EaD na área da saúde

(Texto atualizado em 18/12/2019 às 04:56 pm)

Câmara Municipal de Bariri aprova moção de repúdio aos cursos EaD na área da saúdeCâmara Municipal de Bariri aprova moção de repúdio aos cursos EaD na área da saúdeMais um município paulista se posicionou contra a autorização e o reconhecimento dos cursos de graduação a distância na área de saúde (EaD). Em sessão realizada no último dia 1º, foi a vez da Câmara Municipal de Bariri, no interior do Estado, aprovar moção de repúdio a esta modalidade de ensino.Trata-se da 33º cidade que propõe de forma regimental a moção de repúdio, iniciativa que vem ao encontro das ações promovidas pelo CRF-SP em conjunto com outras entidades contra essa prática na área da saúde, por entenderem que a graduação em EaD coloca em risco a saúde da população.

Em Bariri, a moção de nº 55/2018 foi requerida pelo vereador Ricardo Prearo, que no documento cita a Resolução nº 515/2016 do Conselho Nacional de Saúde, posicionando-se “contrário à autorização de todo e qualquer curso de graduação da área da saúde, ministrado na modalidade Educação a Distância – EaD, pelos prejuízos que tais cursos podem oferecer à qualidade da formação de seus profissionais, bem como pelo riscos que estes profissionais possam causar à sociedade, refletindo uma formação inadequada e sem integração Ensino/serviço/comunidade”.

Na avaliação do vereador de Bariri Ricardo Prearo, a oferta de cursos na área da saúde nesta modalidade pode trazer grandes prejuízos à população e aos profissionais. “Essa formação inadequada de profissionais pode resultar amanhã em um problema muito grave em relação ao serviço de saúde da nossa comunidade. Por isso, fiz uma moção de repúdio mostrando que sou totalmente contrário a esse tipo de formação e das autorizações desse tipo de vaga”.

Fonte CRF-SP


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Roche inicia nova fase no Brasil e vai dobrar lançamentos em 2019

Abbott lança plataforma colaborativa de saúdeMaior fabricante do mundo de tratamentos contra o câncer, a farmacêutica Roche está iniciando uma nova fase no país. Ao mesmo tempo em que a Roche Farma Brasil foi promovida ao grupo seleto de oito países que se reportam diretamente à matriz, na Suíça, a presidência local passou a ser ocupada pelo executivo suíço Patrick Eckert, que estava à frente da diretoria de oncologia e hematologia no país. “É uma chance para a matriz compreender melhor os desafios e oportunidades do mercado brasileiro”, disse Eckert ao Valor. Antes da mudança, a Roche Farma Brasil estava sob o guarda-chuva da crescer “um dígito alto” em 2018

América Latina e o diálogo com a sede não necessariamente ocorria de forma direta. Com foco em inovação, a farmacêutica está no país há 87 anos e teve vendas de R$ 3,1 bilhões no ano passado. O aumento do portfólio de medicamentos de inovação teve papel fundamental para a expansão dos negócios com ritmo superior ao do mercado farmacêutico nacional, o sexto maior do mundo.

O ano em curso tem imposto mais desafios, com a maior concorrência entre as farmacêuticas. Ainda assim, o desempenho da operação brasileira é positivo e os planos de investimento estão sendo cumpridos. Em 2015, a multinacional anunciou que aplicaria R$ 300 milhões em cinco anos para modernizar a fábrica de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, capacitando-a a produzir medicamentos em escala global. O projeto segue em curso e, em 2018, os desembolsos totalizam R$ 40 milhões. Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Nova sistemática da Anvisa para importadores

(Texto atualizado em 28/11/2018 às 02:33 pm)

suspenso interditado anvisaImportadores que utilizam o Porto do Rio e representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitátia (Anvisa) participam de seminário na próxima segunda-feira (29) sobre a aplicação das gestões de risco nos processos de importação. O evento é promovido pela Associação dos Usuários dos Portos do Rio de Janeiro (Usuport-RJ). De acordo com a organização, o seminário será uma oportunidade para importadores entenderem melhor a nova sistemática de anuência da agência, além de tirar dúvidas sobre o tema.

A apresentação será realizada pelo gerente-geral de portos, aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados da Anvisa, Marcus Aurélio Miranda de Araújo. Para Usuport-RJ, a análise de risco beneficia os bons importadores, assim como a possibilidade de registro da licença de importação quando a carga está sendo carregada no exterior.

A associação destaca que esses dois mecanismos ajudam a diminuir o tempo de tramitação de processos enquanto o navio está a caminho do Brasil. Numa rota entre Europa e Rio, por exemplo, o importador tem em torno de 16 dias para resolver eventuais pendências, como retenção da carga no canal amarelo por exigência documental, o que evita o pagamento de armazenagem.

Leia mais ›


Palavras-chave , , , , , , , , , , , , , , ,
Mercado farmacêutico





Raia Drogasil torna-se RD

Nova marca é anunciada após fusão

A Raia Drogasil anunciou mudança de sua marca corporativa para RD – Gente, Saúde e Bem-Estar. A marca surge após cinco anos de fusão, período em que se tornou uma empresa completamente distinta, com gestão, processos e sistemas totalmente unificados. Leia mais ›


Palavras-chave , , ,
Mercado farmacêutico, Marketing Farmacêutico





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: