Arquivo do blog

Recentes resultados sobre o uso hidroxicloroquina ao SARS-Cov-2

Recentes resultados sobre o uso hidroxicloroquina ao SARS-Cov-2

Os profissionais de saúde na linha de frente do Covid-19 estão em alto risco de contrair a doença. Atualmente, apesar de muitas medicações terem sido levantadas como possíveis profilaxias, até onde sabemos, não foi descoberta nenhuma eficaz para indivíduos em risco.

Um estudo publicado no JAMA hoje avaliou o papel da nossa velha conhecida hidroxicloroquina em profissionais de saúde hospitalares com exposição a pacientes com Covid-19, usando uma estratégia de profilaxia pré-exposição. Será que desta vez a medicação trouxe algum benefício?

Método

Trata-se de um ensaio clínico randomizado, duplo-cego e controlado por placebo conduzido em 2 hospitais terciários. O estudo randomizou 132 profissionais de saúde em tempo integral em hospitais (médicos, enfermeiras, auxiliares de enfermagem certificados, técnicos de emergência e fisioterapeutas), dos quais 125 eram inicialmente assintomáticos e tiveram resultados negativos para SARS -CoV-2 por swab nasofaríngeo.

Os participantes foram divididos em 2 grupos, o que recebeu a hidroxicloroquina (na dose de 600 mg, diariamente) e o grupo placebo (que foi dado em tamanho correspondente), ambos foram tomados por via oral por 8 semanas. O ensaio foi encerrado mais cedo por futilidade, antes de atingir a inscrição planejada de 200 participantes.

O desfecho primário foi a incidência de infecção por SARS-CoV-2 determinada por um swab nasofaríngeo na quarta e na oitava semana de tratamento. Os desfechos secundários incluíram efeitos adversos, descontinuação do tratamento, presença de anticorpos SARS-CoV-2, frequência de prolongamento do QTc e desfechos clínicos para participantes positivos para SARS-CoV-2.

Resultados da hidroxicloroquina contra o SARS-CoV-2

Dentre os participantes do estudo, não houve diferença significativa nas taxas de infecção em participantes randomizados para receber hidroxicloroquina em comparação com placebo (4 de 64 [6,3%] vs 4 de 61 [6,6%]; P > 0,99). Um total de 8 participantes tiveram resultados positivos para SARS-CoV-2 (6,4%), destes 6 desenvolveram sintomas virais; nenhum necessitou de hospitalização e todos se recuperaram clinicamente.

Mensagem prática

  • Neste ensaio clínico randomizado, embora limitado pelo término precoce e pela população pequena, não houve benefício clínico da hidroxicloroquina administrada diariamente por 8 semanas como profilaxia pré-exposição em profissionais de saúde expostos a pacientes com infectados pelo SARS-Cov-2.
  • Aguardamos novos estudos que possam fornecer uma medicação eficaz para a profilaxia pré-exposição ao SARS-Cov-2.

Gabriel Amorim
Farmacêutico

Referência: PEDMED
Autor(a): Dayanna de Oliveira Quintanilha, Residência em Clínica Médica na UFF ⦁ Graduação em Medicina pela UFF ⦁ Contato: [email protected] ⦁ Instagram: @dayquintan


Palavras-chave , , , , ,
Mercado farmacêutico, Indústria farmacêutica, ANVISA





Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





Do NOT follow this link or you will be banned from the site!

📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: