Vale a pena abrir uma farmácia?

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

(Texto atualizado em 15/04/2019 às 12:59 pm)

Este post aborda o questionamento comum entre empresários que olham para o setor performando bem e se perguntam se vale a pena investir para surfar essa onda, entrando no ramo ao abrir uma farmácia.

Vamos analisar algumas das características do varejo farma, de forma a permitir avaliar melhor se vale ou não vale a pena trabalhar com farmácia no Brasil. O mercado farmacêutico é promissor e tem muito potencial, mas também possui também muitos desafios a serem encarados.

Crescimento marcante

Segundo a FEBRAFAR em 2018 o mercado de farmácias e drogarias faturou R$120.331.216.266,40 (120 bilhões e 331 milhões de reais) e ainda mais impressionante, cresceu 11,76% em faturamento em comparação com o ano de 2017.

Em 2017, o crescimento já havia sido 12% maior comparando com 2016, em um país que se desenvolve a 1% ou 2% ao ano (variação do PIB do Brasil no período). Segundo a Febrafar, é um mercado ainda promissor que vem crescendo constantemente na faixa de dois dígitos. A tendência favorável é clara e forte.

Concorrência forte

Olhando o prisma dos desafios referentes a empreender com farmácia, facilmente se destacam os fatos que apresentamos:

Oceano vermelho em regiões centrais: Todos ficamos doentes e atrás desse mercado já existem farmácias em todos os centros e regiões centrais do país, de norte a sul, nas cidades de tamanho grande, médio e inclusive em cidades com menos de 50 mil habitantes, onde as redes já se espalham e a concorrência é bastante acirrada.

Margens estreitas

Margens estreitas: Antigamente era possível operar com margens maiores, angariando mais lucro ao trabalhar como empresário proprietário de farmácia. Porém, em consequência do crescimento do mercado e da oferta, os preços estão cada vez mais nivelados para baixo. As grandes redes de farmácia praticam preços bastante abaixo da média, o que força o pequeno empresário varejista a operar com margens menores do que desejaria.

Cenário político incerto

Uma rápida análise mostra que o cenário político regulatório que envolve o varejo farma pode ser considerado atrasado em relação a mercados mais consolidados mundo afora. A venda de muitos itens ainda é proibida e a movimentação no sentido de liberação dessas restrições de venda são lentas e acompanhadas de discussões quanto ao mercado de saúde ser estritamente um ambiente de saúde ou se há espaço para atender necessidades de conveniência não necessariamente relacionadas a saúde do paciente.

Recuperação da crise

Ainda nessa avaliação, a crise econômica na qual o país vem se arrastando pode ser apontada também como um desafio ao empreendedor que quer abrir uma farmácia, pois no cenário econômico atual, de modo geral, o poder de compra do povo brasileiro está fraco, e como menos dinheiro, compra menos.

Esse reflexo é notado em todos os mercados e varejos, nas grandes e pequenas cidades do interior do país e deve chamar a atenção, pois apesar da expectativa geral de melhoria da economia, a evolução é lenta e exigirá planejamento e preparo do empresário para superar momentos com caixa baixo ou vazio.

Gestão do estoque

A gestão do estoque de produtos da farmácia exigirá bastante trabalho e atenção, uma vez que estamos falando de muitas caixas pequenas de produtos com valores altos, expostos em prateleiras ao fácil alcance do público e funcionários. Existem desafios com a questão de furtos, contagem de estoque, controle de vencimentos, implantação de sistemas de segurança, câmeras e monitoramento, alarmes, etc.

Gestão de pessoas

Outro ponto forte a ser esperado será na gestão de pessoas. O problema em encontrar profissionais capacitados e comprometidos com a empresa, e ainda, o problema em manter a equipe já formada satisfeita, motivada e produtiva, consumirão muitos esforços dos gestores, isso sem citar o trabalho com questões da contabilidade, fiscais e de recursos humanos. Esta situação é também comum em muitos outros setores, porém nem sempre é avaliada e considerada quando é realizada uma análise da viabilidade do ramo farma.

Faturamento e lucros

Como qualquer tipo de empresa, os desafios são inúmeros e deverão ser vencidos um atrás do outro, através do trabalho planejado e de rotinas administrativas corretas. Trabalhando corretamente e com dedicação, o faturamento será natural e será  uma consequência do trabalho e renome adquirido aos poucos na região ou cidade de atuação da empresa.  Alguns diriam que ainda existem muito muitas oportunidades em regiões remotas e mal servidas em nível de acesso a farmácia, em grandes e pequenas cidades por todo o Brasil, inclusive essa é a estratégia de grandes redes de farmácias, abrir unidades em regiões carentes do serviço.

Gratidão e significado

Também um ponto bastante apreciado e considerado por aqueles que atuam diariamente no ambiente de uma farmácia, é o sentido de significado do seu trabalho, pois atuam com a recuperação da saúde das pessoas.

Naturalmente, trabalhando para cuidar das pessoas, existe uma conexão com a humanidade e um sentido de gratidão profundo que preenche e realiza muitos profissionais em farmácias, sejam balconistas, farmacêuticos, técnicos em farmácia ou os donos e proprietários. Este é um dos principais motivadores para atuar no ramo.

Conclusão

Como conclusão da rápida análise, entendemos que ainda vale a pena sim trabalhar e empreender com farmácia no Brasil. O cenário não é mais o mesmo quanto ao de alguns anos atrás, quando as farmácias ainda não haviam dominado todos os cantos das cidades. Porém, ainda existe muitas oportunidades e nichos a serem explorado, como o trabalho focado não em venda, mas em promoção da saúde do cliente, oferecendo tratamento pessoal e acompanhamento de cada paciente e cada família.

A clínica farmacêutica, os serviços farmacêuticos e a atenção farmacêutica serão cada vez mais o foco central do mercado do varejo farma, ao invés da venda de medicamentos exclusivamente. Essa já é uma realidade em mercados mais consolidados e evoluídos.

É importante levar em conta a existência de disposição para enfrentar os problemas atuais do mercado e inerentes ao ramo, como os citados anteriormente, e avaliar bem se o preço a se pagar pela realização profissional relacionada seja atraente para o empresário, para que todo o trabalho valha a pena e seja satisfatório de realizar. O ramo já não é tão lucrativo  porém ainda pode ser considerado interessante de ser explorado, se houver a mentalidade e intenções corretas e alinhadas com a realidade e atualidade.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário:



Palavras-chave ,
Mercado farmacêutico

Seja bem-vindo(a) ao blog da M2Farma.

Neste espaço reunimos notícias sobre assuntos regulatórios e o varejo farmacêutico.

Nosso trabalho é facilitar a burocracia técnica, saiba mais.

Siga-nos:

📫 Receba por e-mail

Receba as últimas notícias sobre varejo farmacêutico, ANVISA, Farmácia Popular e Convênios PBM direto no seu e-mail:





📬 Receba as últimas notícias sobre o varejo farmacêutico, Farmácia Popular, ANVISA, convênios PBM e mais: